Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




constato

por M.J., em 30.06.15

que o pessoal inflama-se nas redes sociais com tudo o que seja de fácil percepção e não custe muito comentar. mesmo que se digam coisas como miunto. prota. imjusto. tarbalhar. não interessa. tudo o que seja de fácil percepção serve para indignamento e partilhas a rodo. o viral: criancinhas. cãezinhos. gatinhos. casamentos. cancros. temas fáceis. 

já quando se trata de perceber coisas mais sérias, ler coisas, discutir coisas, saber de factos ou números a vontade de indignação é substituída pelo trabalho que dá e voltamos aos vídeos de beijos e cães ternurentos.

a grécia por exemplo. não vemos indignados. não vemos partilhas. não vemos fotos no facebook com cores acerca do assunto. não há frases sonantes a dizer que somos todos grécia. porque exige esforço perceber, entender. como exige trabalho, passamos à frente.

engraçado. sem graça nenhuma.

 

a censura foi substituída pelo excesso de informação assim como a liberdade de pensamento foi anulada pela formatação da comunicação social. e nós deixamos, na preguiça de querer saber mais.

falemos então da kate e do príncipe? ou das férias? ou do cão e do gato? melhor! cá para mim, falemos todos do ronaldo!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

um senhor, sentado na esplanada, a cortar as unhas dos pés.

pelo menos não estava a roê-las.

Autoria e outros dados (tags, etc)

escolha o mais bonito:

por M.J., em 30.06.15

maridão.

namorido.

sócio.

amorzinho.

gajo.

tipo.

fulano.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

boa tarde

por M.J., em 30.06.15

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:15

só para vos dizer que

por M.J., em 30.06.15

o grupo do fit agora também se trata de um consultório sentimental.

 

aquilo é mesmo muita bom.

farto-me de rir!

Autoria e outros dados (tags, etc)

tenho sempre a ideia

por M.J., em 30.06.15

de que quem defende coisas ridículas com base em tradição veste-se de negro e fica sentado num banquinho, a abanar aos navios que partem dizendo de voz rouca e ar profundo que o mundo já não é o que era.

também era tradição morrer-se em casa, sem assistência médica. enterrar-se os corpos na igreja. cortar pedacinhos de mamilos para descobrir segredos políticos. queimar hemorróidas com pedras a ferver. ter quinze filhos. crucificar pessoas. andar às fechadas e comprar escravos.

 

a tradição é o último argumento de quem não tem mais nada, não é?

Autoria e outros dados (tags, etc)

eu não sei

por M.J., em 30.06.15

onde andam os quarenta graus de calor mas aqui não é de certeza!

Autoria e outros dados (tags, etc)

meus amores

por M.J., em 30.06.15

não entendo o espanto acerca do cão que morreu esquecido no carro dos donos, quando há pais que esquecem os filhos no banco de trás...

 

028.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

* e é incrível que esses alguns permaneçam mesmo depois do que viram, mesmo depois do que me assistiram.

obrigado.

 

"se fiquei curada? não, não fiquei. mas sei distinguir, sempre que tenho uma crise, do que é real e do que não é. e a dor que sinto não é real. é um medo. mas o medo é tanto meu como uma perna ou um braço e se consigo domar um braço posso domar o medo.
podes ultrapassar isso.

podes deixar de sentir pena de ti e do medo do que tens medo. podes. é possível. acho que as palavras que escrevi não ilustram nem de perto o que passei mas foi o fundo do fundo. acredita que foi. e estou aqui. tenta ter a racionalidade de perceber que essa não és tu. ou melhor, não és só tu. essa és tu sentindo algo que não é real, concreto.
não sei se me faço entender.

mas acredita que é possível ultrapassar. passei por todos os estágios da dor, quase morri. maltratei-me de uma forma incrível e ainda hoje o sinto, tem dias, em ligeiros minutos que penso que não sei, juro que não, como foi possível ultrapassar tanta dor.
mas é. escreve tudo o que sentes, sempre. arranja um caderno. põe lá tudo. chama as coisas pelos nomes. sê verdadeira. diz o motivo das coisas. não arranjes desculpas a ti em tudo o que dizes.
e ultrapassas, a sério que sim."

Autoria e outros dados (tags, etc)

a questão meus amigos

por M.J., em 29.06.15

é que ninguém tem de ser contra ou a favor. ninguém tem de dizer se concorda ou não com a homossexualidade.

também ninguém tem de ser contra ou a favor das pessoas dormirem, alimentarem-se ou respirarem.

ainda que enfim, pronto, se preferirem eu diga que sim, acho muito bem que todos inspiremos e expiremos! 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:54

Pág. 1/22