Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




à M.J. do futuro

por M.J., em 11.10.16

minha cara eu futura:

 

visto que casaste e desde esse dia a tua mãe, sogra, cunhada, conhecidas, avó, prima e até senhoria insistiam em perguntar para quando o aluguer do útero;

visto que o teu marido sempre quis ser pai;

visto que sem experimentares não sabias se gostavas;

visto que a tua própria mãe está na flor da idade e pode ser ela uma excelente mãe-avó caso decidas atirar-te de uma ponte, era lógico que entrasses nesse estado de graça que é a prenhice. 

pois bem escrevo para ti enquanto grávida. 

conta-me cá: esses pés inchados? e essas mamas do tamanho da pamela anderson inteira? e essa bexiga em constante actualização? tudo bem? pois esquece isso. não é sobre esse ar radioso que sai de ti, ao género de um poste de iluminação numa noite de inverno, que quero falar.

não minha cara. o que me traz aqui hoje é lembrar-te das regras, das máximas que deves seguir agora que as tuas hormonas comandam a tua racionalidade e não vês mais nada do que humanos pequenos, fraldas castanhas, gel para estrias e curas para mamites. 

por favor, lê esta carta antes de te tornares insuportável e me fazeres corar de vergonha: não quero corar de vergonha agora pelas parvoíces que fazes aí nesse tempo. 

posto isto:

 

* não colocarás no facebook as regras de visita da criança quando nascer: se ainda tiveres alguém que te queira visitar - que duvido -  assim como a pessoa que expeliste, vais ficar muito agradecida, deixar que peguem nela ao colo (de preferência ficarás feliz caso a queiram levar e possas ficar outra vez como deve ser: sozinha a ver um filme com um copo de vinho na mão) ou a adormeçam (mas não contes com essa sorte). 

* não pesquisarás doenças que as vacinas podem provocar na tua cria e verás com prazer a dita apanhá-las: as vacinas são coisas boas e mais vale a choradeira agora do que acabares a pedir dinheiro no gouchinha para tratar de uma doença que a criatura apanhou e ninguém sabe de onde nem porquê.

* não estudarás com a catraia quando ela estiver nessa idade. é tua obrigação explicares que deve fazê-lo mas não tens agora de ir ler o nody vai à missa porque a educadora de infância mandou. é tua função que deixes a criancinha passar pelos erros das suas escolhas, aprendendo com eles.

* não darás presentes pelo facto de a criança ter sido a melhor da turma. como bem sabes mais não é que a obrigação dela estudar visto que tu terás de abdicar de muita coisinha (imaginas as viagens que vais deixar de fazer?) para lhe dar uma boa educação. esforçar-se faz parte das suas responsabilidades.

* não a obrigarás a comer. a não ser que fique totalmente desnutrida, quando tiver fome come. nunca ninguém obrigou uma criancinha de áfrica a comer e elas querem todas ingerir qualquer coisita.

* não dormirás com a cria na tua cama: antes do crianço aparecer tu já dormias sozinha com o teu marido e se assim era... por algum motivo se justificava. além disso, os pesadelos fazem parte da vida.

* nunca, jamais, dirás que antes da criança nascer não sabias o que era o amor: se fizeres isso és uma grandessíssima hipócrita e ingrata e não me parece que queiras tal rótulo. 

* nunca competirás com outras mães devido às capacidades do teu filho: fazer isso é transformares-te numa idiota chapada. e olha que já és uma parva de merda acima do normal. 

* não permitirás que a tua cria faça uma birra num espaço público, fazendo-lhe a vontade apenas para o calar. se ainda tiveres as duas mãos ao fundo dos braços é tua obrigação lembrar-te que mão na cara produz um som inesquecível capaz de resolver noventa por cento de faltas de educação.  

* não olharás para esta carta escandalizada com tanta asneira: afinal percebes agora que, não sendo ainda mãe, a M.J. que te escreve não sabe nada do que diz e é bem capaz de engolir palavrinha por palavrinha.

excepto talvez aquela coisa da birra. 

 

aguenta-te firme, óbiste?

e vê lá se dás uso ao seguro de saúde para a cesariana que isto de cenários medievais não está com nada.

(a não ser que, evidentemente, tenhas mudado de ideias e aches que escarrapachar-te que nem um frango a gritar de dor é uma coisa menita e de louvar). 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30


26 comentários

Sem imagem de perfil

De sarabudja a 11.10.2016 às 10:43

Eu percebi isto ou é só um "suponhamos"?
Vá, e se eu percebi isto, larga já os rissóis de camarão e deixa-te de cenas que não te deixo comer como uma lontra.
Ai o caraças...
Imagem de perfil

De M.J. a 11.10.2016 às 10:47

É inequivocamente um suponhamos.
Sem imagem de perfil

De sarabudja a 11.10.2016 às 10:52

Tens muita gente à perna para engravidares? A ditadura do socialmente correcto. Casa-engravida-engravida novamente-cria a criançada.

Pfffffffffffffffffffffffff.... Já tens músculos muito cansados nas orbitas de tanto rodar?
Imagem de perfil

De M.J. a 11.10.2016 às 22:51

qualquer dia apanho uma doença nos olhos à conta disso.
Imagem de perfil

De Olívia a 11.10.2016 às 11:55

Aposto que não vais engolir muita coisa que aqui escreveste - pelo menos do segundo.. já com o primeiro... não sei não!

Ah, vê bem as condições do seguro (antes de), caso queiras "escarrapachar-te que nem um frango a gritar de dor" lembra-te que a epidural é a melhor invenção de sempre!!!!
Imagem de perfil

De M.J. a 11.10.2016 às 22:52

se tiver de ser será mas acho a imagem tão atroz que nada substitui umas linhinhas, tesourinhas e um médico jeitoso que não veja eu abrir-me como um pito no churrasco.
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 11.10.2016 às 11:57

" não permitirás que a tua cria faça uma birra num espaço público, fazendo-lhe a vontade apenas para o calar. se ainda tiveres as duas mãos ao fundo dos braços é tua obrigação lembrar-te que mão na cara produz um som inesquecível capaz de resolver noventa por cento de faltas de educação. "

Substitui este mandamento por:

" não permitirás que a tua cria faça uma birra num espaço público, fazendo-lhe a vontade apenas para o calar. Vira costas e vai-te embora. Vais ver como ela se cala e vai logo atrás de ti. "
Sem imagem de perfil

De sarabudja a 11.10.2016 às 12:49

E a limpar o ranho à camisola cheio de vergonha. ;)
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 11.10.2016 às 12:54

mesmo! é tiro e queda!
Imagem de perfil

De azulmar a 11.10.2016 às 13:45

Era o que eu ia para dizer à MJ ;-). De resto concordo com tudo.
Imagem de perfil

De M.J. a 11.10.2016 às 22:52

olha que há uns dias vi um pai fazer isso e o crianço não se moveu dois centimetros.
tive vontade ir lá buscá-lo assustando-o com "e agora vou arrancar-te a lingua e comê-la toda".
Sem imagem de perfil

De Joana B. a 11.10.2016 às 12:09

e eu a começar a ler o post e a ir logo para o fim para ver se havia algum anúncio de uma gravidez
Imagem de perfil

De M.J. a 11.10.2016 às 22:53

nops.
nada.
népia.
vira essa boca para outro lado.
Sem imagem de perfil

De Joana B. a 12.10.2016 às 12:44

Sem imagem de perfil

De Silent Man a 11.10.2016 às 13:51

Ponto a ponto, a tua carta:
1 - Não colocarás, não. Mas também não será assim tão á vontadinha, juro. Agradecerás o apoio, mas quererás também ter o crianço só para ti (por "ti" entenda-se doravante vocês os dois);
2 - Espero bem que não...
3 - Estudarás. Aposto que estudarás. Especialmente se (lagarto lagarto) a criança tiver, por exemplo, necessidade de terapia da fala ou algo do estilo.
4 - Darás. Todas as pessoas gostam de um reconhecimento pelo seu esforço. Não é mais que a obrigação, mas nem que seja um abraço mais apertado, darás. E ficarás feliz por fazê-lo.
5 - Não obrigarás, mas farás um esforço para comer sempre mais ou menos à mesma hora, especialmente no início. Depois, ele por si virá para a mesa quando a comida aterrar. Ou já lá estará a refilar.
6 - Como regra, acredito. Nunca é uma palavra demasiado grande. E expulsarás o esposo para o sofá. Ou serás tu a expulsa.
7 - É melhor que não. É uma coisa horrível de se dizer...
8 - (...) Mas falarás orgulhosamente dos feitos do petiz
9 - Pois não, pegarás na criança e sairás de onde estás. Seja restaurante, supermercado, casa da mãe ou outro sítio qualquer. Pelo menos até acalmar...
10 - Taliqual

Um abraço apertado de conforto.
Silent Man :)
Imagem de perfil

De M.J. a 11.10.2016 às 22:53

recebo o abraço.
não retribuo que estou amuada :D
Imagem de perfil

De Quarentona a 11.10.2016 às 14:05

Não te vou esconder que é verdade que vais engolir algumas dessas palavras, eu ainda as tenho entaladas na garganta, mas garanto-te que o melhor para ti será fazeres ouvidos de mercador e seguires o que a tua consciência e coração te ditarem, és uma rapariga sensata não vais ter problemas em decidir o melhor. Quanto às birras, são inevitáveis e um dia terás que te confrontar com elas, nada de perder a cabeça em público, serás severamente julgado por administrares uma dose bem aplicada de educação, segue o sábio conselho da Magda. Aconteceu-me uma única vez, no meio do Continente do Fórum, ele berrava porque queria algo que eu recusei comprar, encostei a minha boca ao seu ouvido e disse-lhe calmamente que se ele não se calasse, largaria o carro das compras ali e iríamos para casa ter uma conversa de mão com rabo, ele teria uns 3/4 anos, foi remédio santo :))))
Não stresses, é mais fácil do que parece ;))))
Imagem de perfil

De M.J. a 11.10.2016 às 22:54

não sou uma pessoa tão paciente.
tenho a certeza que vou ser assídua na CPCJ.
Imagem de perfil

De Quarentona a 11.10.2016 às 22:57

É impressão tua ;))))
Sem imagem de perfil

De Cristina a 11.10.2016 às 14:08

QUASE perfeita, essa declaração de intenções. 😜
Imagem de perfil

De M.J. a 11.10.2016 às 22:54

que falta para não ter o quase?
Sem imagem de perfil

De Cristina a 12.10.2016 às 00:39

a utopia.
Imagem de perfil

De M.J. a 12.10.2016 às 15:51

qual utopia?
Sem imagem de perfil

De Cristina a 12.10.2016 às 20:06

a perfeição.
Imagem de perfil

De oBomIdiota a 11.10.2016 às 14:55

Fizeste me apagar o "PARABÉEEEEEEEEEEEEEENS" que já estava mentalmente a escrever nos comentários...
Imagem de perfil

De M.J. a 11.10.2016 às 22:54

ora ainda bem.

Comentar post



foto do autor