Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




pronto, vamos então lá explicar isto como quem tira um penso rápido num pedaço de pele cheia de pelos:

 

farta de usar óculos que me fazem perder amplitude de visão, diminuem o tamanho dos olhos, embaciam no calor e no frio, molham-se com a chuva, caem, ficam todos tortos quando me deito a ler ou ver tv, já para não falar dos dramas de praia, em que não consigo ver sem eles mas não posso ir para a água a carregá-los nas trombas, decidi-me de uma vez por todas, deixei de lado bichices (acho que mariquices não é politicamente correto) e vai de marcar novamente uma consulta para experimentar lentes de contacto.

 

pois meus senhores, depois de ter desmaiado na primeira vez que o fiz, devia saber melhor.

que estava toda convencidíssima que desta é que era, depois de ser obrigada a pôr o dedos num dos olhos. estava mesmo plenamente confiante nas minhas capacidades mentais.

quê? desmaiar? claro que não! as fobias são para meninos e eu, desde há uns dois anos, que sou uma mulher.

feita.

ponto.

tanto sou-uma-mulher-feita-ponto que mal cheguei comecei a tremer.

 

a oftalmologista não era a mesma e olhou para mim com ar de não-estou-a-acreditar-no-que-me-estão-a-dizer-ainda-para-mais-a-um-sábado-repleto-de-frio. tirou-me os óculos, estendeu-me as lentes. pegou no próprio olho e vai de tirar e meter as suas próprias lentes. assim, a cru, com explicações rápidas: ganhar espaço na parte branca, pegar no nosso dedo e enfiar lá a lente, olhar para baixo, a lente vai para o olho, tudo muito fácil, até uma criança de três anos é capaz.

 

pois claro.

isso e batatas.

a este ponto estava com vontade de desistir e ainda nem tinha posto dedo algum em olho nenhum. o rapaz - que estava ali, de fileira a assegurar-se que eu i) não desatava a correr porta fora ii) vomitava nos sapatos da senhora iii) desmaiava com os costados no chão - soprou num silvo que eu era capaz e que não passava de uma lente.

 

M.J. olha para a esquerda, olha para a direita, olha para a frente. não há fiscal de linha nem guarda redes mas há uma espécie de jorge jesus ao meu lado a olhar-me com as lentes na mão.

M.J. abre o olho e enfia lá a lente tremendo como dois vimes. tem, meus senhores, o rabo a bater palmas e nem ouve a mulher que diz qualquer coisa muito ao longe:

e pois bem, a lente fica. 

a lente fica.

(por outro lado, M.J. não tem recordação da segunda lente porque quando olha em frente sente o mesmo de sempre:

i) as pernas tremem,

ii) o estômago embrulha-se,

iii) o peito fecha-se e uma vertigem horrível lhe acorre à cabeça.

iv) perde a cor, mesmo sendo sempre tão sadia e corada, e assobia, num pequeno esgar dolorido que precisa de água.)

 

sentaram-me. não desmaiei desta vez. ficamos a falar ali de tudo e nada enquanto a senhora pensava, tenho a certezinha, que aquilo era surreal em demasia  sobretudo para uma adulta com brancas no cabelo.

enfim, dez longos minutos depois consigo parar de fixar os meus joelhos, a cor pois que se me volta e posso olhar em frente:

e vejo!

vejo como há quinze anos não via sem uma armação de plástico nas trombas.

vejo e fixo e distingo cores e caras e o mundo não é um borrão indistinto.

tudo bem, pensei, tudo bem. agora fico com elas até ao resto da vida e está feito.

 

não, não está!

é neste momento, eu morra já aqui se não é verdade, que a mulher me diz que as vamos tirar e depois voltar a pôr.

tirar, pensei eu? mas aquela bateu com a cabeça? passo as passas do algarve (a propósito, que passas serão estas) e ela quer que eu depois arranque tudo e fique outra vez ceguinha? e que volte a perder a cor e a quase desmaiar e ponderar se lhe projecto o vómito às trombas ou às mamas?

pois que sim, temos de as tirar. e é muitíssimo fácil, atentem meus senhores, muitíssimo fácil: abre-se o olho puxa-se com segurança a lente para baixo, faz-se uma ligeira ruga na mesma e tira-se.

assim.

como?

como?

então, se eu demorei vinte minutos para só encostar a filha de mil pegas da lente na vistinha direita, vou ser capaz de a segurar, numa espécie de pinça, dentro do meu próprio olho? 

mas ninguém se lembrou de me avisar esta merda?

 

pronto. foi nesta fase que a coisa descambou à séria.

eu bem que aproximava o dedo mas fechava o olho com força. depois, quando finalmente tocava na lente a dita fugia, numa espécie de gato e rato já perdido. a mulher incitava-me com palavras de ordem: mais firmeza, não ande a fazer cócegas à lente, segure nisso sem medo. o rapaz tocava-me no ombro com ar de a-sério-que-estás-a-fazer-este-cagaçal-todo-com-isto? 

e eu meus senhores?

eu tirei uma e, tremendo das pernas, soltando quase lágrimas, um ar de desespero cego de quem voltou às aulas de educação física e precisa de saltar barreiras mas caiu com elas em cima quando tentou pelo que, agora não quer que o mesmo aconteça, pedi, implorei que a mulher me tirasse a outra. 

assim.

aos vinte e nove anos esta pessoa, que não implora, que não se lembra de implorar jamais, que prefere quebrar do que torcer, que tem um orgulho de ferro...

implorou que lhe tirassem a lente de contacto do olho esquerdo.

 

implorou.

 

cum mil demónios.

 

F I.png

vem ter comigo ao facebook - aqui,  e instagram - aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:35


21 comentários

Imagem de perfil

De A-lupa-de-alguem a 16.01.2017 às 10:44

conheço bem o drama que falas. eu também usava uns óculos que detestava, mas também não me dei bem com lentes, mas isto foi aí há uns 20 anos atrás. o meu problema não era tanto coloca-las, mas sim, retirá-las. arranjaram-me um ventosa e era com uma ventosa que as tirava. Foi um tempo horrível, acabei por desistir e voltar aos horríveis óculos. tempos mais tarde, fiz aquela cirurgia a lazer. foi um milagre na minha vida. adeus óculos, adeus lentes. fiz no ano 2000 custou caro é certo...mas foi tão libertador.
Imagem de perfil

De M.J. a 16.01.2017 às 11:00

espera aí, empanquei ali uma palavra:
ventosas?
VENTOSAS?

como ventosas?

VENTOSAS?????????
Imagem de perfil

De A-lupa-de-alguem a 16.01.2017 às 15:52

Havia umas mini-ventosinhas que se vendiam na loja oculista... ajudava tinham aí uns 2 centímetros...mas isto nos anos 90 certamente já não existe.
Imagem de perfil

De M.J. a 16.01.2017 às 15:58

credo.
senti uma ligeira náusea só de olhar.

q'horror!
Imagem de perfil

De VeraPinto a 16.01.2017 às 10:54

M.J. querida, eu usei lentes de contacto quase 10 anos. Era a coisa mais natural do mundo. Tirava e metia (as lentes) sem espelhos, sem stress. Às vezes no meio da rua. É a coisa mais cómoda do mundo, e quem tinha usado óculos mais de 10 anos também, a qualidade de visão é qualquer coisa de extraordinário.
mas visto, que tens, claramente algum problema com os olhos (investiga isso) pode ser uma fobia. Já pensaste em ser operada a laser?
É caro como o caneco, para não dizer asneiras, mas são 5 minutos da tua vida, a operação, apesar de estares consciente, não sentes nada e estás na paz do senhor (além do cheiro a queimado, já te estou a avisar) porque estás cheia de calmantes, como se te drogassem numa sala de chuto.
Passado 24 horas, nada de óculos, nada de lentes, tudo perfeitamente nítido. E mesmo assim só melhora com o tempo.
Pensa nisso. Compensa. Muito.
Imagem de perfil

De M.J. a 16.01.2017 às 11:02

eu sei que é natural mas há qualquer coisa em mim que me diz que não é. meter dedos nos olhos é-me apreendido como sei lá, meter dedos nos rins. há orgãos do nosso corpo em que não é suposto haver dedos.

posto isto, vou tentar terça feira outra vez, que a mulher foi perentória e eu estou mesmo fartinha de usar óculos.

quanto à operação já pensei seriamente nisso. mas quando falamos em caro falamos para que preços? oh conta a mim!
Imagem de perfil

De VeraPinto a 16.01.2017 às 11:50

Eu, a título completamente privado (sem SNS ou seguros de saúde) paguei 2000 €. Na altura, isto há 5 anos, era 1000€ por cada olho que tivesses que ser operado. Sei que o SNS comparticipa qualquer coisa, mas têm listas de espera grandes. Eu fui a uma clínica privada, marquei consulta com um oftalmologista que sabia que fazia as operações (isto numa quarta) e na quarta-feira seguinte estava a ser operada. Mas se tiveres seguro de saúde, pode ser que eles comparticipem qualquer coisa.
A operação é muito simples, há dois tipos de procedimento, uma mais moderna, que não tens dor, não tens período de recuperação, nem nada disso, que é feita agora a mais de 90 % dos casos. Depois, há um método mais tradicional, que é para pessoas que não podem fazer o outro (como eu que não tinha curvatura no olho suficiente) que só tens que estar em escuro absoluto durante mais ou menos 5 dias. E não recuperas logo a visão. Tens alguma dor (mas nada que um benuron não passe) Eu passei por esta segunda fase, mas passava mais 100 vezes se fosse preciso.
O resto do pessoal que foi operado no mesmo dia que eu, no dia seguinte já foi trabalhar.. (eu é que tive a mania)

Provavelmente não são as informações médicas mais precisas, mas foi assim que me explicaram :)
Pode parecer assustador (se fores procurar informação sobre isso, conselho: NÃO VÁS) mas compensa. Deixei de usar óculos, lentes, e vejo milhentas vezes melhor do quando usava qualquer um deles.
É a operação e o sacrifico que te melhora a vida, e muiiiito.
Imagem de perfil

De Blog sobre tudo e nada a 16.01.2017 às 11:42

Todos os ceguinhos passam por isso!! Também me lembro da primeira vez que coloquei lentes de contacto (também sofria horrores só de pensar que ia enfiar algo estranho ao corpo pelos olhos), mas hoje é tão natural como beber um copo de água! Primeiro estranha-se, mas depois entranha-se!! Boa sorte com as lentes, vai valer a pena!
Imagem de perfil

De M.J. a 16.01.2017 às 16:13

mas como é que se tira aquilo? como?
Imagem de perfil

De Blog sobre tudo e nada a 30.01.2017 às 10:15

Tenta não ter arrepios com a descrição que se segue:

1) Puxas ligeiramente a pálpebra inferior para baixo,
2) Com o dedo indicador empurras a lente para a zona do ponto lacrimal e esta acaba por se dobrar ligeiramente
3) Aí apanhas a lente!

Convém manter o olho aberto para veres o que se passa e apanhar a lente direita!

No caso de usares maquilhagem, colocar as lentes sempre antes de te maquilhares e na hora de desmaquilhar, tirar sempre a lente primeiro, não vá ela andar a passear depois por dentro da pálpebra superior

Força nisso!!! Beijinho
Imagem de perfil

De Miss Winter a 16.01.2017 às 12:09

O esforço que eu fiz para não soltar uma grande gargalhada ao ler, mas pronto vais-te sentir melhor:

- As razões que enumeraste para usar lentes foram as mesmas do meu ex depois lembrei-me das discussões que tinha com ele porque comecei a fazer as contas às lentes e dizia-lhe enquanto os óculos a correr bem dá para se aguentar as mesmas lentes 3 ou 4 anos... as lentes não, parecem baratas mas ao fim do ano ficam no valor de umas lentes para óculos.

Mas ele teimou e ganhou, mas ele é um mestre a por e tirar aquela porcaria.

E eu nem tento a pensar que eu ia ser como tu ora se mal vejo algo aproximar-se do meu olho fecho-os logo por isso nunca consegui maquilhar-me...

Pronto ficaste melhor?
Imagem de perfil

De M.J. a 16.01.2017 às 16:15

eu entendo o que dizes quanto ao preço das lentes. mas há coisas e coisas. para mim é preferivel gastar dinheiro em lentes do que em outras coisas que a maioria das mulheres gosta, como roupa ou sapatos ou coisas de cozinha ou para a casa ou sei lá onde as mulheres passam tanto tempo em compras.
as lentes vão dar-me mesmo muita qualidade de vida (extra) que neste momento os óculos não me proporcionam.

no entanto, para que isso acontece eu tinha de as conseguir usar!
e não consigo!

bha!

(e sim, sofro do mesmo quanto à maquilhagem).
Imagem de perfil

De Miss Winter a 16.01.2017 às 16:18

Pois mas eu nem em roupa nem em calçado nem nada de nada, neste momento da minha vida é para viver o dia a dia, divorciada e com um filho de 3 anos não dá para uma pequena extravagância.

Infelizmente tive que gastar 420 nuns óculos agora porque o apoio do nariz partiu-se há uns meses e já não podia andar sempre ali com montes de cola e para piorar mais 100 para uma bateria para o carro... como eu digo haja saúde :D

Mas vais conseguir, quando queremos muito uma coisa temos que tentar nem que seja um milhão de vezes.
Sem imagem de perfil

De Cristina a 16.01.2017 às 13:10

estás lá, MJ.
desta vez não desmaiaste.
portanto, estás lá.
Imagem de perfil

De M.J. a 16.01.2017 às 16:17

mas não as consegui tirar.
não consegui.

não consegui!
Sem imagem de perfil

De Cristina a 16.01.2017 às 18:27

mas conseguiste pôr.
não vai de uma vez, vai de duas ou três ou vinte.
é assim mesmo!
Imagem de perfil

De blogdocaixote a 16.01.2017 às 22:48

Há muitos vídeos no youtube à laia de tutoriais para pôr e tirar lentes. Inspira-te neles, pode ser que ajudem.
Imagem de perfil

De M.J. a 23.01.2017 às 10:51

credo. aí é que morria. ver gente a pôr dedos em olhos custa-me quase mais do que pôr dedos nos meus próprios olhos.
Sem imagem de perfil

De Celeste Corediro a 20.01.2017 às 22:15

Usei lentes de contacto durante cerca de 15 anos e não consigo entender os problemas que descreves. Eu só tinha falta de lágrima, o que tornava o uso das mesmas um pouco problemático em ambientes com AC. Posteriormente fiz Lazic no Hospital da Ordem Terceira, em Lisboa, há cerca de 3 anos. Custou cerca de 1.000 euros cada olho. Apesar de me dar bem com as lentes, recomendo a intervenção. Não há nada melhor! É indescritível a sensação de em 24 horas, sem qualquer tipo de incomodo, começares a ver perfeitamente bem.
Imagem de perfil

De M.J. a 23.01.2017 às 10:54

pondero fazer a cirurgia. vou saber das possibilidades de a realizar através do SNS mas se não der perco o amor ao dinheiro, mais cedo ou mais tarde.

o meu problema com as lentes está relacionado com uma fobia aos olhos. é dificil explicar tanto mais que eu própria nunca tive muita paciência para fobias.
no entanto, o medo/trauma/seja lá o que for é tão real que me faz desmaiar. neste momento já as consigo colocar (sempre a tremer e com todo o meu corpo em alerta) e tirar sem cair mas ainda sinto tonturas, vertigens e enjoos.
é ridiculo mas é mesmo assim.

Comentar post



foto do autor