Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




banalidades

por M.J., em 14.02.17

tive uma insónia terrível esta noite.

chovia e a chuva batia nas janelas sem clemência, fazia voar as cordas com a roupa na varanda e as árvores dançavam freneticamente em barulho de ramos e folhas.

quando olhei o relógio eram quatro da manhã.

é incrível como conseguimos pensar no que nunca pensaríamos em noites de insónias, embrenhados numa espécie de torpor desperto que nos faz passar os olhos por momentos, recordações, passado e futuro de mãos dadas até que percebemos que já não sabemos bem a fase em que estamos.

fiquei por isso, hoje, a trabalhar em casa.

 

levantei-me tarde e a más horas.

precisava de cevada e pão com manteiga mas, na ausência da cevada que acabou, fiz papas de aveia que comi na varanda com o vento na cara.

está sol e ouço a música de um amolador, que ainda visita a cidade. abri a janela do escritório e trabalho de vento nas mãos. não chove e tenho olheiras fortes de quem dormiu mal. 

 

diz que é dia dos namorados.

talvez tenha sido por isso que te senti dormir toda a noite. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

oh vai ver ali:

publicado às 11:30