Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




banalidades

por M.J., em 03.03.17

acordou chuvoso. dormi mal a noite toda, com cólicas fortes que não passavam de maneira nenhuma. às duas da manhã ouvi a chuva e o respirar do rapaz, num compasso mudo de tempo eterno. poderia ser bucólico, se não fosse doloroso.

acordei mais tarde esta manhã, depois de avisar que ficava a trabalhar em casa.

na cozinha a janela estava embaciada com a humidade da rua. arrastei-me por entre os minutos. cheirava a lixívia, da grande limpeza de ontem. tirei um café longo e fiz uma tosta mista, num pão que não é bem pão, com fiambre que não é bem fiambre e queijo que não sabe bem a queijo. 

há pequenos luxos que nem sempre temos. tomar o pequeno almoço de pijama, remelenta, pantufas e meias sobre as calças, cabelo despenteado e um livro na mão é um deles e é uma pena que na maioria dos dias andemos tão atarantados que nem nos lembremos disso.

 

na secretária estavam papéis espalhados, livros e post-its, numa desarrumação que não gosto. fiz chá quente e queria flores frescas para animar a manhã.

diz que é um dia sem graça. chove a potes na rua, tenho um varal de roupa a secar molhando-se e a casa está de pantanas, entre roupa por arrumar, pó por limpar e, juro, alguns cabelos no chão do wc.

ouço cinema paraíso em rotação constante.

acordou chuvoso, está cinzento e ainda sinto resquícios de cólicas agudas.

mas a paz que se sente por entre o correr das horas é de um laranja vivo.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

oh vai ver ali:

publicado às 11:30


2 comentários

Imagem de perfil

De C.S. a 03.03.2017 às 11:59

Também gostava de puder dizer que ficava a trabalhar em casa num dia como o de hoje.
Imagem de perfil

De VeraPinto a 03.03.2017 às 12:08

A melhor coisa que a nova função me trouxe foi isso mesmo. Trabalhar em casa. Passo semanas em correria, a conduzir centenas de quilómetros, mas felizmente há alturas que me deixo dormir até mais tarde, e posso ficar em casa a trabalhar. Sem ter que avisar ninguém.
É nestas alturas que percebo que poder trabalhar de pantufas, com as gatas a dormir lentamente ao lado da mesa do escritório, e poder fazer chá quente a cada hora, que sou uma sortuda. Sou muito mais feliz e produtiva ao poder intercalar dias de solidão e paz com a correria de ter que conviver com dezenas de pessoas por dia.
Mais empregos e dias assim.

Comentar post



foto do autor