Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




banalidades

por M.J., em 19.10.17

há um leve cheiro a fumo no ar que se entranha na roupa, no corpo, no cabelo, na pele.

não tem a imensidão de cinza e pó e abafado intenso dos últimos dias mas permanece gravado a cada partícula de ar, como uma espécie de fumado adocicado e enjoativo que se propaga, insistentemente, por todo o lado.

o cinzento da manhã apanha cada partícula e deixa-se vaguear pela vida.

tomo café a olhar os cedros. não há ninguém na rua e esforço-me por canalizar a mente para o que vejo. as árvores, as casas, um gato no jardim em baixo.

está tudo queimado. 

ainda não consegui abarcar essa ideia:

está tudo queimado. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

oh vai ver ali:

publicado às 10:20



foto do autor