Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




banalidades

por M.J., em 15.07.15

levito entre o que sou, o que tenho, o que conquisto e o que vou deixando ficar para trás como se não fosse eu. encharco-me em emoções que são minhas e finjo que não conheço e refugio-me nas pequeninas coisas, que não gosto por comuns, mas que me dão segurança para não desatar a cair pela vida, num pranto endemoninhado, que não controlo.

tem dias que começo a escrever e me perco.

as palavras comandam-me e penso, numa felicidade ridicula que o descrevo e o que construo em imagens está para além de mim e não sou eu até descobrir que toda a gente que escreve o diz e se vangloria que não é dono das palavras.

é triste concordar-se e vangloriar-se com isso. devemos, devíamos sei lá, ainda que o dever seja uma coisa que não entendo e não goste de dizer mesmo dizendo constantemente, devíamos controlar tudo o que pomos em papel, ainda que papel seja figurado. devíamos ter pleno controlo das ideias antes delas se esmurrarem como palavras atiradas à cara de quem gostamos, numa fatalidade eterna.

não se podem ensurdecer palavras ouvidas.

não se podem apagar palavras lidas.

tem vezes que não sei absolutamente nada do que vou dizer, sequer, e que não sei qual a próxima palavra, a próxima frase, a próxima ideia e dou conta de que escrevi qualquer coisa que me apetece riscar, fazer desaparecer. tem vezes que uso as palavras num controlo meu, directas, afiadas, numa trajectória definida a alguém, a mim tem dias, prestes a atacar.

inocentemente.

desisto hoje aqui. fiz o que podia ter feito para mudar uma situação que nem dei conta de ter criado. pensei que o tempo amaciaria as palavras que não foram ditas e as que se disseram. pensei que controlaria emoções e o passado mas deparo-me que não, que também isso é igual às palavras que vomito em dias como hoje, fora do meu controlo.

desisto. e é uma pena.

só deus sabe o tamanho do amor de que desisto. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:47


8 comentários

Imagem de perfil

De Maria Alfacinha a 15.07.2015 às 18:19

Pois... podia ter sido mais explícita.
"Uiii" de "doeu"
Sem imagem de perfil

De Cris a 16.07.2015 às 12:48

Não desistes nada...
Imagem de perfil

De M.J. a 16.07.2015 às 16:34

já desisti :)
Imagem de perfil

De (des)Esperança a 16.07.2015 às 13:13

hibernas se tiver de ser. mas desistir? tu? com a força vulcanica que tens em ti? não me parece possivel.. seja do que for.. tudo cria raizes em ti.. tudo o que é importante se te agarra à pele, como uma segunda camada... respira fundo... e se puderes, pensa no bem que é poderes escrever o que quiseres, quando queres... desistir, tu? bahhhh
Imagem de perfil

De M.J. a 16.07.2015 às 16:33

às vezes temos mesmo de desistir.
e bem sabes que quando desisto, desisto de vez.

Comentar post



foto do autor