Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




banalidades

por M.J., em 24.09.15

é como se de repente respirar, caminhar, tocar em pedaços de maçã ainda a cheirar a canela não tivesse qualquer valor e me sentisse chafurdada de um sentimento inexplicável de vazio. como que se me virasse do avesso e não houvesse nada para sentir, para dizer, para gritar ao mundo e eu fosse eu só sendo eu. 

como se não conseguisse acreditar que possam duvidar das minhas palavras, das vezes que te disse gosto de ti.

como que se uma lassidão de tamanho abismal comandasse horas e minutos e me apetecesse o escuro e nada, nem sol, nem folhas, nem cheiro a outono ou tranquilidade das horas me construísse e me fizesse ver para além dos dias, como este, em que a existência se resume a uma espera lancinante para que termine. 

tem dias que eu só sei ser o que era.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:07


2 comentários

Imagem de perfil

De Genny a 24.09.2015 às 15:34

Acho que a primeira frase adequa-se ao sentir de hoje...
Imagem de perfil

De M.J. a 24.09.2015 às 15:40

infelizmente sinto mais que só a primeira. também sinto a última.

Comentar post