Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




copos.

por M.J., em 17.06.16

desde que me conheço que, percebi agora, sofro de uma pequena e, admito até, banal tendência para comportamentos autodestrutivos. 

nada de anormal no mundo.

há gente que morre, gente que mata, gente que vive sem dramas, gente que faz dramas, gente bem disposta, gente mal humorada, a gente do copo cheio, a gente do copo vazio, enfim, gente! 

por mim sou tendencialmente depressiva e assumo comportamentos autodestrutivos na primeira oportunidade em que o mundo me pareça menos atractivo.

e caramba, se não são delas a dar com um pau!

tomo, por isso, uma série de precauções para me manter sã, ou pelo menos, mais sã do que doente, aí nas curvas da vida: não durmo menos de oito horas por dia, não como de forma descontrolada, não bebo (beber é realmente estar a pedi-las), não fumo e até mesmo com o açúcar tenho cuidado porque já houve tempos que, se não arranhasse o nariz, até o snifava.

passo pela vida como uma miúda de dois anos que quer ir saltar nas poças de água mas não pode porque altamente tendenciosa a apanhar constipações.

a minha existência, torna-se, por conseguinte, uma seca depressiva. sou rígida em comportamentos para não descambar. crio rotinas seguras para não perder o controlo e, quando der conta, ter cinco pessoas a agarrar-me para ir até ao matos, ou ao julio, ou ao que raio é. assumo técnicas de defesa para não me afundar em ansiedade e fujo como o diabo da cruz dos pequenos pedaços de mundo que me possam provocar palpitações, calafrios, e ausência de sono.

ridículo, não é?

às vezes penso, entre o controlo inusitado e a perda dele, entre a vontade de viver correndo por entre as rotinas e o impulso de deitar esta trampa de existência às urtigas e viver a vida numa completa ausência de hábitos e normalidade, se não invento estas merdas e não me digo assim para ser diferente.

depois vejo as consequências dos pequenos deslizes do controlo e percebo que não. 

deus, que idiota chapada!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

oh vai ver ali:

publicado às 11:00


8 comentários

Sem imagem de perfil

De RC a 17.06.2016 às 12:42

Gosto mesmo de ti!
Imagem de perfil

De M.J. a 20.06.2016 às 10:57

e eu de ti meu amor.
Sem imagem de perfil

De Cristina a 17.06.2016 às 14:04

good! ☺
Sem imagem de perfil

De DuvCertezas a 17.06.2016 às 14:45

"assumo técnicas de defesa para não me afundar em ansiedade e fujo como o diabo da cruz dos pequenos pedaços de mundo que me possam provocar palpitações, calafrios, e ausência de sono.
ridículo, não é?"

Percebo tão tão tão tão tão bem o que queres dizer. Se é ridículo, não sei, não interessa, é o que somos agora. Se queríamos reagir de outra forma? Provavelmente queríamos sentir de outra maneira e se calhar isso vai acontecer mais cedo do que pensamos.

Texto fantástico ;)
Imagem de perfil

De M.J. a 20.06.2016 às 10:58

obrigada.
só realidade.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.06.2016 às 15:30

Comecei a ler o teu blog, porque me ria com os teus devaneios. Ultimamente acho realmente que andas deprimida. Aproveita a vida, porque enquanto pensas e repensas e te fechas como uma tartaruga na sua carapaça a vida passa. Porque não dar um salto aventureiro no desconhecido? Porque não sentir calafrios e arrepios na espinha? Experimenta e vais ver que o sol nasce todos os dias para nos mostrar que cada dia existe uma aventura lá fora. Coragem e sorri. Força!!!
Imagem de perfil

De M.J. a 20.06.2016 às 10:59

não diria deprimida que se torna, assim escrita, uma palavra muito forte. mas diria fase menos boa. como vou tendo ao longo dos anos.
não é anormal.
o problemático era quando não as identificava e me deixava ir ao sabor do vento.

Comentar post