Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




do engano.

por M.J., em 26.02.15

"Porque era então que quase bocejavam? É que o amor é essencialmente perecível, e na hora em que nasce começa a morrer. Só os começos são bons. Há então um delírio, um entusiasmo, um bocadinho de céu. Mas depois!... Seria pois necessário estar sempre a começar, para poder sempre sentir?..."

Eça de Queirós - O Primo Basílio

 

enganaste-te aqui querido Eça. não é o amor enquanto tal que mal nasce começa a morrer.

é a paixão.

o amor, quando existente, permanece, se cultivado, mesmo que a paixão vá aos poucos esmorecendo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:44



foto do autor