Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




do são joão

por M.J., em 24.06.15

esta manhã recolhem-se, na serra, os carros de bois que estão no centro da aldeia. o pessoal reúne-se durante a noite e leva carroças, vasos, penicos, coisas velhas para a praça principal, divertindo-se durante o dia a ver os donos carregar com as tralhas no regresso a casa.

o papá farta-se de dizer que antigamente é que era e tem sempre uma dúzia de histórias de como o ti qualquer coisa ficava ofendido com as brincadeiras de são joão, de como o outro se recusava a ir buscar as carroças, de como o ainda outro dormiu a noite inteira, em cima de uma, depois de uma valente bebedeira, para que não lha levassem e quando deu conta acordou de manhã, ainda em cima dela, mas na praça principal. de como uma vez amarraram um burro ao sino da igreja e o animal, estranhando o ambiente onde não havia o seu curral e a sua cama, se mexeu de um lado para o outro tocando o sino a rebate, até o sacristão o ir buscar e se sujar todo.

ah, as histórias.

a mamã arrumava aos vasos das orquídeas, numa agitação de final de tarde, agora que os dias eram gigantes e as noites pequenas. dormíamos de um sono leve, esperando pelas gentes que nos podiam levar as tralhas para a praça e eu achava piada. uma vez deixei mesmo a bicicleta cá fora, só para que ma levassem e eu fizesse parte, uma vez que fosse, da aldeia que também era minha.

ninguém a levou.

este ano, à semelhança dos outros em que deixei a aldeia, não vi gente a roubar vasos, num empréstimo nocturno. caminhámos pela cidade, num passeio nocturno, e demos de caras com marchas de são joão, que afinal as há por estas bandas, uma série de miúdos e graúdos alinhados, a cantar e a dançar. 

perante o meu entusiasmo com a música e as cores e as pessoas numa dança onde se juntava algodão doce e pipocas, e as saudades do tempo em que eu também era são joão, o rapaz comprou-me um "brinquedo" depois de regatear, que fazia bolinhas de sabão.

e estive uma hora, mãos pegajentas de algodão doce que não comi, a soprar bolinhas de sabão e rindo muito das cores da noite, tão vivas num som de música pimba por baixo.

acho que só agora descubro a animação dos dias felizes com cores e cheiros e pessoas.

 

e não sei que fazer ao meu brinquedo de fazer bolinhas agora que a festa acabou.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:36



foto do autor