Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




do silêncio

por M.J., em 19.04.15

a água cobriu os campos onde brinquei. fazia castelos de lama, subia às árvores e dormia na sombra dos carvalhos nas tardes mais quentes de verão. agora há só água.

o rio, transformado em riacho ao fundo, que corria numa mansidão adormecida em gafanhotos de verão, é agora um lago que comeu os currais onde a avó me contou que o capuchinho vermelho afinal não matou o lobo.

não há pinheiros com pequenas folhas pontiagudas para entrançar com malmequeres. a água, de um azul transparente levou tudo, cobriu tudo.

o silêncio, cortado por ruídos rastejantes, o sino muito ao longe e trinados dos pardais nas árvores mais próximas, o silêncio esse continua o mesmo.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:27