Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




dúvidas

por M.J., em 07.08.17

às vezes sento-me em frente ao pc, quieta, parada na espera de escrever qualquer coisa.

não há inspiração que venha.

as teclas não se mexem sozinhas numa ideia fantástica, num desabafo, num alívio de palavras.

 

às vezes, simplesmente, não há grande coisa acerca do que escrever, mesmo que pudesse relatar as coisitas do fim de semana, o livro acabado, o rodrigo leão & scott matthew ao vivo, o almoço em família, o cão louco que numa corrida desenfreada me fez cair, o café num sítio do passado, a caminhada no choupal, assim, estas coisas não por esta ordem mas a manterem-me segura à terra.

 

não há muito que escrever e tenho medo:

e se um dia já estiver tudo escrito e não houver nada a acrescentar?

e se de repente perceber que nada do que diga, ou faça, ou seja, ou escreva é novo?

nada traz a excitação do que era, nada acrescenta novidade e confetis, serpentinas e fogos de artificio, flores viçosas e expectativas?

é possível viver-se toda uma vida que foi, entretanto, vivida e tudo o que resta são os resquícios do que foi outrora?

é possível permanecermos na caminhada em direcção ao nada, sentindo que levamos esse nada nos pés?

ou que o rasto que fazemos é tão ténue que não se nota?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:19


3 comentários

Sem imagem de perfil

De Silent Man a 07.08.2017 às 11:52

Há sempre qualquer coisa para escrever. A questão que se coloca é se a queremos partilhar ou não.

E não te preocupes demais com isso. Vai só escrevendo o que te der na real gana. A malta vai lendo.

Comentar post



foto do autor