Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




e depois o que fica?

por M.J., em 21.02.17

não sei se já vos aconteceu.

a mim uma vez ou outra.

e ontem vi acontecer a alguém de quem gosto:

 

um daqueles eventos, daquelas fatalidades da vida que a transformam de tal modo que nada mais é o que era.

de repente a vida deixa de ser aquela estrada com uma curva ou outra, um buraco maior ou menor, um obstáculo aqui e ali transforma-se num abismo de escarpas íngremes.

há um acontecimento que revira rumos e travessias e quando damos conta sabemos que, inevitavelmente, não seremos jamais iguais ao que éramos.

acontecimentos de segundos. 

que alteram a eternidade do que fica.

 

tenho tanto medo que me aconteça tal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

oh vai ver ali:

publicado às 12:30


16 comentários

Imagem de perfil

De VeraPinto a 21.02.2017 às 11:17

infelizmente já vi acontecer a muita gente de quem gosta. Tenho medo terrível de a próxima ser eu..
Imagem de perfil

De M.J. a 21.02.2017 às 12:58

a questão é que altamente provável que sejamos nós. não somos, de todo, imunes a fatalidades.
Imagem de perfil

De Gaffe a 21.02.2017 às 12:55

Já. Já me aconteceu. Já aconteceu e atingiu com uma força brutal quem estava e permaneceu ao meu lado.

Já aconteceu. Deus meu! Alterou TUDO. Todas as nossas vidas! Modificou TUDO.
Sei que se não tivesse acontecido, seria absolutamente diferente do que sou. Não sei se valeu a pena. Sei que deixei de ser o que era de um momento para o outro.

É medonho.
Imagem de perfil

De M.J. a 21.02.2017 às 12:57

é mesmo isso. medonho.
aconteceram-me, ao longo da vida, uns dois ou três. numa questão de segundos houve um evento que alterou tudo onde assentava a minha vida. num não tinha a capacidade física e mental, por ser demasiado crinaça, para absorver e ter consciência do que se estava a passar.
noutro já tinha mas nem por isso foi mais fácil.

e há sempre aquela sensação do: se pudessemos recuar dois segundinhos que fosse... só dois...
Imagem de perfil

De Olívia a 21.02.2017 às 13:17

Se calhar são esses "segundos" que nos definem enquanto pessoas... se são os que deixam mais marcas em menos tempo... se nos fazem mudar, se nos tiram o tapete... se nos deixam sem acção e cheias de medo... mas que nos fazem avançar por outro caminho...
Imagem de perfil

De M.J. a 22.02.2017 às 10:20

é possível. mas doem tanto que não sei se valem a pena.
Imagem de perfil

De Olívia a 22.02.2017 às 11:02

Têm de valer.
Deixo-te um exemplo:
Passei uma segunda gravidez perfeita, sempre em movimento, perdi peso, bebé saudável, trabalhei até ao fim. Uma maravilha.
Na hora do parto, vi a minha filha sem vida em cima de mim. Não percebi o que se passava. Ninguém me dizia nada. Reanimaram-na. Ela sobreviveu. Devia ter danos cerebrais dizem. Mas não os encontraram ainda.
A minha forma de ver a vida mudou.
Foi horrível.
Mas tornou-me uma pessoa diferente...
E depois temos aquele "episódio" com a Margarida...
e muito, muito mais...

Imagem de perfil

De Rita a 21.02.2017 às 14:19

Infelizmente sei bem. Num momento tudo estava normal e tranquilo e no seguinte tudo mudou... assusta e continua a assustar porque na vida nunca se sabe o que está ao virar da esquina.
Imagem de perfil

De M.J. a 22.02.2017 às 10:20

e é preciso prosseguir. sempre com a maldita esperança que vai ficar tudo bem, não é?
Imagem de perfil

De Rita a 22.02.2017 às 14:05

Ora nem mais... se não for essa esperança torna-se tudo impossível
Sem imagem de perfil

De Sofia Marques a 21.02.2017 às 15:10

Infelizmente não estamos imunes mas nem quero pensar em tal coisa...
Imagem de perfil

De M.J. a 22.02.2017 às 10:21

eu também recuso-me a pensar...
Imagem de perfil

De Fátima Bento a 21.02.2017 às 22:36

Não se chega aos 49 sem enfrentar alguns desses momentos, às vezes em cima do arame. Não, não voltamos a ser que eramos. Mas é possível avançar.

Seja por estupidez ou teimosia.

Ou por resiliência. Que tenho para mim que não é a oitava maravilha que lhe atribuem. Porque às vezes a gente quer parar, abrir a porta, apagar a luz e fechá-la atrás de nós...

Mas a resiliência obriga-nos a "ser fortes" e avançar... pqp...
Imagem de perfil

De M.J. a 22.02.2017 às 10:21

concordo em pleno acerca da resiliência. e sei perfietamente dos efeitos que me provocou. preferia que tivesse nascido desprovida dela.
Imagem de perfil

De Fátima Bento a 22.02.2017 às 13:51

É um presente envenenado...
Sem imagem de perfil

De Joana B. a 22.02.2017 às 18:10

Tenho familiares a quem a vida mudou de um momento para o outro, para eles a vida nunca mais será igual e consequentemente esse momento também me afectou, um dia adormeci e estava tudo normal e acordei de madrugada com uma noticia que deitou toda a família abaixo.

é sempre uma luta diária para eles conseguirem seguir a sua vida...

Comentar post