Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




M.J. também opina

por M.J., em 11.07.17

1 - a carolina patrocínio mostrou uma foto da filha, de um ano, bronzeada. como ilustração da coisa os jornais usaram esta foto:

img_757x498$2017_07_10_15_07_22_647066 (1).jpg

se esta criança é branca e tem um ano, eu sou o martin luther king e em vez de ter trinta, tenho o sonho de ter 15.

 

2. o pessoal abespinhou-se todo porque o ronaldo alegadamente comprou dois ou três filhos.

diz grande parte do ruído que não é lógico nem moral comprar-se crianças, mesmo que o esperma seja dele, porque à partida recusa-se a mãe a um filho. ou dois. ou vá, três.

eu cá acho que se a maioria do pessoal tivesse feito os divórcios e as regulações de responsabilidades parentais que eu fiz, não só dava graças pela ausência de um progenitor, como percebia que dois pais, duas mães ou um de cada biologicamente não são nadinha importantes ao lado da presença funcional enquanto a criançada cresce.

não vale de nada ter um pai a mais, ou uma mãe em excesso quando, na maioria, só servem para destruir em vez de instruir.

ou acham que temos tantos adultos disfuncionais porquê?

(então e mulheres que têm filhos e não dizem quem são os pais? a permissa não é a mesma?)

 

3. os truques da imprensa portuguesa assumiram quem são as pessoas por trás da página, finalmente, depois de especulação cerrada.

um portista e um lisboeta, muito bem ambos os dois, com ligações políticas e futebolistas que levaram à insinuação da alegada isensão dos dois.

para mim, saber quem são não altera nada o conteúdo da página mas a maneira como se desenrolou a coisa é de uma ironia fantástica:

os truques da imprensa fizeram uma página que releva os truques da imprensa sendo que esta, por sua vez, revelou os truques dos truques.

não é bem?

 

4. o sobral falou em peido e o mundo abespinhou-se.

que o local não era indicado e que a frase soou de uma arrogância atroz disso não há dúvida. mas meus senhores: julgar toda uma personalidade musical por um peido não dado, transformando-o numa besta quadrada é exactamente igual a igualá-lo a herói por ganhar um festival de histerias.

tudo normal, portanto, nenhuma contradição.

em boa verdade o homem foi a personificação da fama sem o proveito: 

não peidou mas levou com as consequências como se tivesse intoxicado o país com o cheiro.

 

5. por falar nisso: o milhão e tal dos heróis portugueses já chegou às vítimas ou ainda está parado na casa santa da misericórdia à espera de ver o sol por trás dos tecidos que compõem aquelas coisas úteis nas calças?

 

contai-me: qual a vossa opinião acerca disto tudo?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:53


21 comentários

Imagem de perfil

De Violinista a 12.07.2017 às 00:56

1 - não sei quem é o raio da gaiata nem liguei muito à mãe nalgum momento das nossas vidas;

3 - não sei quem são os dos truques, mas aparecem-me agora em todas as páginas de política de esquerda, e pela maneira que o descreveram pareceu-me uma caça às bruxas, mas como só li um dos lados não deveria opinar muito... hoje em dia o que não falta são páginas de opiniões, piadolas e bitaites na internet;

2 - eu não gosto de crianças, não aprecio conversas de grávidas e papás babados, e a conversa à volta dos filhos que o Ronaldo comprou ou deixou de comprar já aborrece, mas consigo perceber a indignação de quem olha para aquilo e vê algo pouco melhor que tráfico humano, porque a primeira imagem que me veio à cabeça foi o senhor futebolista à frente de uma vending machine de bebés (seleccione: []um []gémeos []trigémeos []olho azul []olho castanho []ruivo []loiro []preto []branco []QI abaixo de 50 []QI abaixo de 110 []QI acima de 150). Sei lá, apesar de tudo faz-me espécie ver crianças em qualquer esquema de venda e posse, pergunto-me sempre quando é que passamos à fase seguinte de modificar geneticamente e criar crianças bonecas para os caprichos de alguns ao ponto de anular o valor de uma vida, ou começar a modelar de forma ainda mais visceral os filhos que já se tem;

4 - eu percebi o que o Salvador quis. Percebi, como artista, e como pseudo intelectual. Tanto o cantor como o país fizeram um boneco dele. O boneco do país, deslumbrado, não corresponde à realidade, e o boneco dele fugiu-lhe do controlo. Eu também não gostava de tocar e só me conhecerem e aplaudirem numa música que nem sequer considere o meu melhor. Não foi um comentário feliz, ok, há piadas e piadas. Não me parece que uma única pessoa no meio dos espectadores tenha percebido, ou vá perceber. Agora lide com o comentário e ou segue pelo caminho que quer e este publicozinho o deixa de seguir gradualmente, ou engole os sapos todos e deixa-se apaparicar, correndo o risco de ter de cantar apenas e só o "Amar pelos Dois" até ao fim da existência. Quanto à relação entre personalidade e obra, não digo que estejam interligadas, mas que se influênciam, creio que sim, pelo menos no que vi até agora;

5 - assim que ouvi que o dinheiro ia para as Misericórdias, para mim ficou tudo dito. Bem prega Frei Tomás...

Mas posso estar errada. Já mudei de ideias em muita coisa.

(Números todos ao contrário... anarquista...)

Comentar post