Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




má mãe

por M.J., em 17.10.16

ouço e leio uma queixa recorrente nas mulheres que pariram: "tenho medo de ser má mãe".

é quase inevitável: trouxeste à vida uma parte de ti* e morres de medo de cumprir mal a tua função. o puto chora um bocadito e confessas que tens medo de ser má mãe. dás-lhes dois pares de estalos porque ele te levantou a mão cinco vezes e entras num pranto sem fim com medo de ser má mãe. a criança não gosta do teu mamilo esquerdo e assumes que és má mãe. tira negativa a educação física e tu és má mãe. perde os dois dentes da frente no mesmo dia e a culpa é tua, que és má mãe. apanha piolhos com o joãozinho do primeiro esquerdo e tu és má mãe.

bhá!

não é que me incomodem os desabafos, as queixas ou a confissão do medo. espanta-me é a generalidade da coisa.

não vejo (em comparação) as mesmas queixas relativamente ao medo de ser má esposa, má amiga, má filha, má profissional ou má consigo mesma: como se isso não importasse na função sacrossanta da maternidade.

a sociedade ou a vida ou as hormonas ou a moda ou um qualquer fenómeno não estudado impele a mulher a assumir que sim, tem pavor de não cumprir as suas funções enquanto progenitora mas, estranhamente, não se verifica o mesmo quanto ao resto:

como que se de repente, ser mãe ocupasse a única posição central de quem nasceu com uma vagina. como que se fosse lícito sentir receios acerca da função divina a que ascendeu a própria virgem ao lado da vaca mas o resto coubesse apenas ao segredo dos deuses.

e no fundo meus senhores, a coisa é muito simples: se fores má pessoa não serás, com certeza, grande mãe. se fores má amiga, má esposa, má filha, má profissional, má contigo própria não poderás, inevitavelmente, ser grande educadora.

as coisas são como são. e parece que no mundo da maternidade são mais do nos restantes.

uma pena: creio que as mães que conheço seriam muito melhores enquanto pessoas se não caminhassem pela vida levando nos ombros uma tonelada de medo e culpa relativamente a quem pariram. 

 

* não escrevi "expeliste alguém" o que bem demonstra a minha tentativa de escrevinhar melhor. no entanto, percebe-se no decorrer do texto que, como em tantas coisas na vida, falhei. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:15


8 comentários

Imagem de perfil

De Magda L Pais a 17.10.2016 às 09:23

é o medo de falhar que, bem aproveitado, faz de nós melhores. Na maternidade, no emprego... na vida, em suma. O problema é que, socialmente, só se aceita que a mulher tenha medo de falhar na maternidade e condena quem tem medo de falhar no resto. Como se fossemos todos robos, programados para a excelencia.
Sem imagem de perfil

De Alexandra Martins a 17.10.2016 às 09:40

Querida M.J. podia comentar, mas prefiro deixar-te a minha visão em dois pequenos textos que já escrevi sobre isto. Se tiveres tempo e paciência, claro! :)

http://27andcountingstars.blogspot.pt/2015/07/sou-uma-ma-mae.html

http://27andcountingstars.blogspot.pt/2016/06/a-todas-as-maes-diferentes-de-mim.html

Beijinhos***
Sem imagem de perfil

De Cristina a 17.10.2016 às 13:06

mas comente. comente lá aqui. como comentadora, gostaria de ler os seus comentários. e não clicar em links para.
Sem imagem de perfil

De Alexandra Martins a 17.10.2016 às 14:49

Obrigada pelo seu interesse, Cristina, mas neste momento não tenho mesmo disponibilidade para tecer em comentário tudo o que acho sobre este assunto que tem pano para mangas. Fica para a próxima :)
Imagem de perfil

De Olívia a 17.10.2016 às 10:51

Para mim, o problema não é a "mãe", mas a sociedade que tem sempre uma opinião a dar, uma tabela a ilustrar, uma bitola para medir e por aí fora.
Tinha muito para escrever sobre isto, mas lá está... cada uma é como cada qual (seja lá o que isto for).
Sem imagem de perfil

De Isis a 17.10.2016 às 13:46

A mim atormenta-me não o medo de ser má mãe mas o não conseguir transmitir aos meus filhos tudo o que eles precisam para a sua vida! Obviamente que damos exemplo, damos conselhos, tentamos guiá-los mas no final a decisão do caminho a tomar é sempre deles como já foi nossa um dia.
Não me rala que me chamem má mãe porque os meus filhos pouco (ou nada) foram amamentados, porque caíram a brincar e partiram um pulso, porque tiveram negativas na escola ou chumbaram um ano.... cagando e andando (pode-se dizer isto aqui não pode?) para as opiniões alheias de quem muitas vezes faz trezentas vezes pior ou não tem sequer criancinhas a cargo!
Imagem de perfil

De Maria Mocha a 17.10.2016 às 16:55

É verdade e contra mim falo.
Parabéns pela lucidez de raciocínio.
Imagem de perfil

De Milheiras a 17.10.2016 às 22:14

Para mima responsabilidade é muito maior em ser mãe, do que ser filha, esposa, ou mulher. Por isso o medo está sempre por perto, esse medo terrível de ser má mãe,

Comentar post



foto do autor