Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




e eu não acho bem nem mal.

acharei bem se não for incomodada com pulgas, latidos, mordidelas, rosnares e doenças.

caso contrário acharei mal e deixarei de ir a esse restaurante. 

simples como isso. 

 

entendo a opinião de quem tem animais.

mas também entendo os donos dos estabelecimentos que, além de se procuparem com clientes mal educados, gente que estranha, comida mal feita e esquesitinhos como eu têm agora de se preocupar se o gato do mesa dois não lambe os tomates e se o cão da mesa cinco não vomita nos pés do cliente.

 

parece-me -  desculpem os que não concordam (ou não desculpem) - uma valente porcaria!

fumar à mesa (e eu detesto fumo) está mal.

mas apanhar com saliva de cão e bolas de pelo não tem problema.

 

oh que consumição!

(alguém sabe se os restaurantes se podem recusar? se sim, que saia uma lista por favor!)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:26


14 comentários

Imagem de perfil

De Gorduchita a 13.10.2017 às 15:42

Subscrevo!
Ou melhor, na verdade, acho mal! E gosto muito de animais. Mas há sítios para tudo...
Imagem de perfil

De Quarentona a 13.10.2017 às 15:43

Sim, segundo o que sei, haverá a livre opção do proprietário do restaurante em permitir ou não a entrada a animais. A mim não incomoda minimamente e juro que não entendo a celeuma à volta disto tudo, se eu não quiser comer na companhia de animais, não vou restaurantes onde os mesmos são permitidos, é simples.
De qualquer modo, estou em crer que haverá regras para P.S restaurantes que permitem a entrada de animais, não será tudo ao mólho e fé em Deus, com certeza! Na Holanda, realidade que conheço bem, é permitido animais em quase tudo o que é sítio e as pessoas vivem muito bem com isso.
Imagem de perfil

De M.J. a 13.10.2017 às 15:48

(é impossível comparar a realidade holandesa à portuguesa).

posto isto, se for opcional dos restaurantes fabuloso. não vejo mesmo mal nenhum. se for obrigatório já entendo a celeuma.
Imagem de perfil

De Quarentona a 13.10.2017 às 15:56

Não será obrigatório, o PAN já veio esclarecer essa questão. E seria um perfeito absurdo se o fosse, essa obrigatoriedade só faz sentido na cabeça dos que são contra só porque sim.
(pois não faz sentido a comparação e nem imaginas como lamento isso)
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 13.10.2017 às 16:18

não há obrigatoriedade nem dos restaurantes aderirem a isso nem dos donos levarem os animais :D

Acho que tudo depende do dono. Se tiver ensinado bem os seus animais, eles ficam ali sossegaditos enquanto toda a gente come. A minha Bunny, por exemplo, sempre que vamos a esplanadas, dorme em cima dos meus pés (a menos que haja pombos por perto e ai ninguém a consegue segurar. Ela odeia pombos!)
Imagem de perfil

De Margarida a 13.10.2017 às 16:30

Até eu que tenho uma cadela que vai comigo frequentemente de férias e ao restaurante, devo confessar que estou com "medo" do que se vai passar em Portugal.
Acho muito bem que os donos dos restautantes possam recusar todos os animais, mas também acho bem que possam recusar casos em particular.
A minha cadela entra comigo e deita-se debaixo da mesa, ficando nessa forma todo o tempo e sem incomodar ninguém, mas conhecendo melhor do que ninguém a realidade portuguesa no que concerne à educacão canina, acho que vão haver muitas situacões aborrecidas para o dono do restaurante/restantes clientes.
Poderão ser criadas áreas para animais como existem para fumadores, ou limitar o acesso dos animais às esplanadas... A ver vamos.
Sem imagem de perfil

De Silent Man a 13.10.2017 às 16:35

Eu tenho cá a minha opinião... E vou partilhá-la. Mas friso, é a minha opinião.

Sou fumador há muitos anos e não discordo em absoluto das zonas de fumadores. Quem fuma está no seu direito e se o restaurante proporcionar isso aos seus clientes pagantes epá, encantado da vida. Melhor. Mas não deixarei de ir ao restaurante por isso.

Com os animais é um bocadinho diferente. E pego no exemplo de um amigo meu que tem um pastor alemão enorme, com cerca de 50kg de músculo. Um "lulu" do tamanho de um pónei. Se eu e esse meu amigo quiséssemos ir a um restaurante sem esplanada e o meu amigo fizesse questão de levar o "lulu", eu não iria com ele. Lamento, é dos meus melhores amigos e eu adoro de paixão o cão dele. Mas uma bisarma daquelas precisa no mínimo de 5m2 de área para estar sem perturbar ninguém. Da mesma forma que não o levaria para um qualquer outro sítio apertado. Simplesmente não é bom nem para quem opera no restaurante, para o dono ou para o próprio cão que, coitadinho, sofre mais com o stress do "tá quieto", "senta", "chega para aqui" do que disfruta da companhia dos donos. E para o dono a mesma coisa.

Claro que se for um chihuahua que esteja caladito no bolso do casaco do dono, não chateia ninguém e pode entrar até no Lux que não atrapalha nada.

Ou um porquinho da índia. Ou um grilo.

Com isto, tenho a dizer que o sal e pimenta nestas alturas é a ferramenta mais útil. Literalmente. Tanto para temperar as opiniões das pessoas como para temperar a comida qjue vamos comer.

Não podemos ser tudo ao mar nem tudo à terra. E a primeira coisa que temos que compreender é que, digamos o que dissermos, vai haver pelo menos uma pessoa que se vai sentir muito ofendida e vai chamar a DECO.

Posto isto... Eu voto não aos animais no geral. Acho mal. Não acho uma porcaria ou nojento, como uns cromos que praí andam dizem, nem acho uma necessidade porque os dog-lovers não podem ser marginalizados. Mas se eu tentar levar a minha cobra amestrada nenhum restaurante me serve e as cobras amestradas devem ter os mesmos direitos que os cães, os gatos, as iguanas e os porquinhos da índia. Não é só para o que dá jeito.
Sem imagem de perfil

De Joana B. a 13.10.2017 às 16:38

Pelo que li não é obrigatório, os proprietários dos restaurantes podem escolher tal como foi com a situação dos fumadores e também penso que só assim é que a lei faz sentido.

Acho que isto é como a questão do tabaco se sei que aquele restaurante é para fumadores e não quero levar com fumo não vou lá, neste caso se sei que deixam entrar animais naquele restaurante e não quero estar a comer com animais por perto não vou aquele restaurante, vou a um em que seja proibida a entrada de animais.
Sem imagem de perfil

De Ricardo_A a 13.10.2017 às 19:34

Pena que as leis em Portugal não tenham todas esta matriz liberal.
O espaço comercial tem um dono e o dono deve ser soberano em aceitar ou não animais. Quem quer vai, quem não quer não vai.
No meu caso pessoal, qualquer restaurante que permita animais nunca mais me põe a vista em cima. Mas concordo a 100% com a lei !
Sem imagem de perfil

De Cristina M. a 13.10.2017 às 19:48

antes de pensar em animais e nos seus direitos (?), resolva-se tudo, mas mesmo tudo o que ainda mantém tantos humanos num dia a dia de indignidade, pobreza extrema e maus tratos. depois, muito depois, os animais. isto é assim simples, para mim.
fumadores e espaços para? já fui ofendida numa esplanada. alguém achou que tinha o direito de comer ao ar livre - e tem - sem o fumo do meu cigarro - não tem.porquê' porque o "alguém" tinha escolha: comer no interior do estabelecimento. eu, não a tinha. simples, também.

um grande fim de semana, MJ.
Imagem de perfil

De j.campião a 19.10.2017 às 17:21

De tudo o que já vivi, os maiores incómodos, profissionais, sociais e outras coisas mais, chegaram-me sempre de ...pessoas. As mais esquisitinhas, essas, claro, foram as piores de aturar.
Será por acaso que se diz: "quanto mais conheço as pessoas, mais gosto dos animais"? Bom, se calhar não é por acaso, as pessoas são realmente difíceis de aturar.
É bom saber que podes evitar os cães, os gatos e os periquitos, em tua casa, no restaurante, na rua, já que as pessoas, essas, não conseguirás nunca evitar, nem mesmo as mais esquisitas.
As pessoas são o animal mais incómodo e mais destruidor que se conhece, mesmo para as próprias pessoas. Tirando isso, concordo contigo e tudo, evidentemente.



Perfil Facebook

De Sofia Silva a 19.10.2017 às 17:52

Estou totalmente de acordo contigo, vamos lá ver como vai ser.
Um beijinho,
Sofia

Comentar post


Pág. 1/2



foto do autor