Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




para quem não esteve presente

por M.J., em 11.10.15

"Antes de mais quero dizer que não sei muito bem porque sou eu a estar aqui, sinceramente. Creio que a Magda possivelmente pensou que eu era capaz de dizer coisas bonitas acerca dela, do que escreve, do livro, motivos para lerem o livro, mas a verdade é que a Magda já devia saber que eu não sei dizer muitas coisas bonitas. Tento escrever e mesmo aí sabe Deus.

E foi por isso, por essa minha incapacidade que eu decidi que não vou falar grande coisa, coisas minhas, bem entendido, acerca da Magda e do livro Viagens. Vou usar a minha voz – não é das mais melodiosas, bem sabemos e nem sempre consigo disfarçar o sotaque da serra – mas vou usá-la para ler alguns testemunhos de pessoas que gostam da Magda, conhecem a Magda e, para o que interessa hoje, seguem a Magda na sua escrita.

Antes de passar a esses testemunhos eu preciso de fazer um ponto prévio para aqueles que não sabem, e informar que

  1. Este não é o primeiro livro da Magda – é o terceiro e se ainda não têm os outros, tenho a certeza que o Paulo veio prevenido, por isso é só irem ter com ele no fim disto.
  2. Ela escreve todos os dias;
  3. E, melhor que isso, podem ler também todos os dias o que ela escreve porque a Magda tem um blog. Aliás, se não me falha a memória, tem até mais do que um… três para ser mais precisa, ou quatro se contabilizarmos uma revista. E escreve diariamente nesse blog. É daí que muita gente a conhece e eu não podia deixar de lado essas pessoas (até porque, muitas elas, reforço, têm mais jeito para as palavras que eu.).

 

Por outro lado tenho ainda de dizer que falo das características pessoais da Magda (assim como as pessoas que vou ler) porque, se um livro não é integralmente quem o escreve é, pelo menos, o seu reflexo. E um livro de crónicas é ainda mais. Ora, o livro Viagens - que não, não vão ao engano, não se trata de um romance acerca de viagens, muitas pessoas ou ilhas perdidas, ou tigres em mar alto, não é nada disso – o viagens sendo um livro de crónicas traduz, essencialmente, a Magda enquanto pessoa, com as suas opiniões, as suas crenças, as suas histórias de vida e experiências. Portanto, ler o livro é quase como ler a Magda e as suas opiniões, dái ser tão importante falar dela.

E, só ainda mais um aparte, para vos dizer o que me atrai a mim, sobretudo, na escrita da Magda e neste livro: É que ela não tem problemas nenhuns em apresentar a sua opinião. E não é uma opiniãozita. Não é” ai e tal, eu até pensava desta forma mas sei lá, o politicamente correcto não me deixa e pronto, a gente bem sabe que isto é uma democracia mas há coisas que não se dizem e…” Não. A Magda, dentro claro, de valores de boa educação, ponderação, nada de vernáculo (não entendo porquê, mas está bem), nada de ofensas, dentro disso escreve exatamente o que pensa. E isso, confesso, é a parte mais interessante, para mim, das suas crónicas. Porque é difícil hoje em dia encontrar pessoas a escrever com lucidez, a conquistar empatia junto de quem lê, não usar em cada duas palavras um palavrão ou uma palavrinha que ninguém sabe o significado e, ainda, conseguir um consenso generalizado entre os leitores.

(Mais um bocadinho e eu, com estas qualidades todas, podia apresentar a candidatura da Magda à Presidência.)

 

Passando finalmente ao que já estou a prometer desde o ínicio (basicamente ler o livro para ler a Magda) vou passar às palavras dos outros - com a pequenina explicação de que todas as pessoas que eu vou ler têm um blog, aliás é daí que conhecem a Magda (isto é uma espécie de rede ou máfia dos blogs) e tiveram todos a amabilidade de me responder ao e-mail em que pedi que me dissessem umas poucas palavras acerca dela. E do que pensam do livro.

 

Então, começamos com a Cris que diz que a Magda “é uma boa companhia quer online, quer ao vivo, ainda que sem tostas a metro! Já tenho o livro da Magda e gostaria que ela se aventurasse um pouco mais, porque acho que é mais que capaz de nos mostrar, além dos episódios do mundo real, mundos de ficção.”

(Aí tens uma dica, podes começar a pensar nisso).

 

A Ana Vale diz que “Embora entre família, trabalho, estudos e blog me sobre muito pouco tempo para investir em outras leituras, a verdade é que há alguns espaços que não deixo de visitar, e sem dúvida alguma que o da Magda é um deles! A escrita é simples, construtiva, verdadeira e promotora de grande reflexão de qualquer um que a lê... e para mim, tudo isso transparece em cada linha que produz, e que eu leio, com grande prazer. 

Obrigada Magda!”

(Uma pessoa lê isto e começa a pensar o que é que a Magda anda a oferecer às pessoas para falarem assim dela).

 

A Joana S, por sua vez, questiona: O que posso dizer da Magda? Ainda não a conheço pessoalmente e digo ainda porque acredito que um dia nos vamos conhecer, mas cativa-me a forma como escreve, gosto da forma como encara a vida e o passa para o papel. Sim, li o livro e adorei. 

Gosto dela porra! – (não fui eu, foi ela, eu não digo e jamais escrevo palavrões. E depois avança) esta parte não deve ficar muito bem, pois não.

Beijão grande e que domingo seja um dia inesquecível e repleto de momentos maravilhosos.

Tenho pena de não poder estar por ai

 

Também a Rapariga do autocarro tem elogios a fazer à Magda “Há dias em que não tenho tempo para ver todos os blogs que gostaria, mas há um que não consigo deixar de ler e esse é o da Magda, sempre com novidades! Não sei como é que essa mulher tem tempo para ler tanto, cuidar da família, manter o blogue sempre actualizado e ainda trabalhar fora! A verdadeira mulher DURACELL da blogasfera!”

(Eu não comento frases onde possam entrar coelhos, numa época tão critica para o país).

 

Para a Fatia Mor “A Magda para mim, que a vou lendo com cada vez mais prazer num momento diário, é uma guardiã dos livros. "Olho" para ela e vejo o que eu própria gostaria de ser... Alguém que ama a palavra escrita, que lhe dedica o tempo e atenção que ela merece e isso cria em mim profunda admiração. Desejo-lhe as maiores felicidades neste momento.

 

E por falar em livros, também a Neurótika Web diz que “A Magda é daquelas raras pessoas cujo espírito não envelhece. Por detrás dos olhos de uma mulher experiente brinca o brilhozinho de uma menina irrequieta e curiosa. O que nos aproximou foi o gosto pela literatura e pela escrita. É um prazer lê-la e, esperemos que nos continue a brindar no futuro com mais produção literária.

(Olha outra dica).

 

A Helena Silva diz que “Sou uma fraca: Leitora, blogueira, etc.! Posso no entanto dizer do auge das minhas certezas pessoais, que: "- Há meia dúzia de pessoas que leio com sofreguidão. A Magda é uma delas. Escreve de uma forma limpa e acessível e sempre que posso lá venho eu a correr lê-la.”

(A Magda para além de escrever ainda leva as pessoas a fazerem exercício físico. Tarda nada e diz que é fit).

 

A Ana CB diz que “Perspicaz, divertida, acutilante por vezes e conciliadora quando necessário, a Magda é uma das vozes mais simpáticas, despretensiosas e sensatas da blogosfera, com um coração tão grande quanto o seu talento para comunicar connosco. Nas suas crónicas desassombradas não há qualquer momento mais fastidioso e a surpresa está garantida. Quer nos conte os pormenores divertidos do seu dia-a-dia, ou aponte o dedo às dissonâncias do nosso mundo, lê-la é sempre um enorme prazer.”

 

A Maria das Palavras (ainda gostava de saber o que motiva as pessoas a escolher certos pseudónimos na internet) diz o seguinte: “Como disse umas quantas vezes a melhor forma de reconhecer a Magda, é dizer que o braço dela não acaba na mão, mas no livro que ela segura. Leitora por excelência e conversadora por excelência. E é a conversar que escreve, por isso nos consegue envolver da primeira à última linha enquanto nos conta os seus episódios e teorias. “

 

Temos ainda a Marta “A Magda é uma das bloggers que eu mais gosto de ler no dia-a-dia. Quem já anda nisto dos blogs há tanto tempo ( 7 anos) sabe o quanto é difícil haver pessoas genuínas e verdadeiras a escrever e são essas qualidades que a escrita da Magda transparece. Sejam assuntos sérios ou mais leves, é sempre um prazer de a ler!”

 

E a Maria Alfacinha: "Quando penso na Magda, penso em alguém de mente aberta e coração grande, sempre pronta a abraçar-nos ou a lançar uma gargalhada. 
Que mais podemos pedir? Que houvessem mais Magdas? Hummmm... sim :-)"

 

E por fim, vou chamar a atenção para o brilhante, fabuloso, extraordinário e impecavelmente bem escrito prefácio pela Maria João que diz que Viagens “despe a Magda em si mesma (salvo seja) trazendo-a ao pé de nós e sentando-a ao nosso lado, conversando connosco sobre as horas que constituem os seus dias, as suas ideias e as suas opiniões”.

 

Não há dúvidas, portanto, tendo em conta toda esta gente, que escreve e fala muito melhor que eu, que vale mesmo a pena ler o livro e, consequentemente, a Magda. E juro, por todos os anjinhos, que ela não pagou a ninguém estas palavras.

(se bem que agora ficava-lhe bem pagar qualquer coisinha a quem teve esta trabalheira toda).

Leiam, não se vão arrepender."

 

 

(e havia tanta mais gente a poder falar de tanta coisa)

.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:29


23 comentários

Imagem de perfil

De Varufakis a 11.10.2015 às 21:57

5 Estrelas, parabéns às duas.
Imagem de perfil

De M.J. a 12.10.2015 às 12:45

merci :)
Sem imagem de perfil

De Paula a 12.10.2015 às 08:56

Houve palmas à apresentadora do livro, de certeza! E também à autora do livro!
Imagem de perfil

De M.J. a 12.10.2015 às 12:45

houve sim :)
Sem imagem de perfil

De Paula a 12.10.2015 às 12:47

Merecidos, em ambos os casos! Não li o livro, mas conheço a qualidade de escrita da autora (agora só me falta conhecer as qualidades de oradoras)
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 12.10.2015 às 09:24

Oh e depois disto ainda me perguntas porque é que te escolhi a ti? se não sabes, também não é agora que te vou explicar :D

já te disse hoje que gosto muito de ti?
Imagem de perfil

De M.J. a 12.10.2015 às 12:46

estás a dizer agora, já basta :P
Imagem de perfil

De Vanessa a 12.10.2015 às 10:10

Era para ter dito algo, mas o meu fim-de-semana foi super atribulado
A Magda é mesmo a nossa super mulher que orgulho!
Imagem de perfil

De M.J. a 12.10.2015 às 12:46

:)
é mesmo.
Sem imagem de perfil

De marta a 12.10.2015 às 10:33

Parabéns às duas e muito sucesso!
Imagem de perfil

De M.J. a 12.10.2015 às 12:46

obrigado :)
Imagem de perfil

De Maria das Palavras a 12.10.2015 às 11:13

A blogger de pseudónimo inexplicável achou um bonito discurso, sobretudo para quem se confessa inapta para os fazer.
Imagem de perfil

De M.J. a 12.10.2015 às 12:47

(estarei por acaso, a notar aí uma acusação de falsa humildade?)
Imagem de perfil

De Maria das Palavras a 12.10.2015 às 13:56

Oh, peço desculpa, fui subtil?...Não era de todo a minha intenção.
Imagem de perfil

De M.J. a 12.10.2015 às 17:05

ursa. parva d'uma figa.
Imagem de perfil

De Corvo a 12.10.2015 às 12:00

Muito sucesso a ambas, e continuação de mais escritos.
Imagem de perfil

De M.J. a 12.10.2015 às 12:47

obrigado Corvo.
Sem imagem de perfil

De Joana a 12.10.2015 às 12:29

Adorei a frase da Rapariga do autocarro http://araparigadoautocarro.blogs.sapo.pt
a Magda é a "verdadeira mulher DURACELL da blogasfera!”
Imagem de perfil

De M.J. a 12.10.2015 às 12:47

ahahahahahahahah
muito boa sim.
Imagem de perfil

De A rapariga do autocarro a 12.10.2015 às 20:10

Parabéns, acho que a Madga foi maravilhosamente apresentada!
Imagem de perfil

De M.J. a 12.10.2015 às 21:59

(também acho mas não digas a ninguém :) )

Comentar post



foto do autor