Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




#sóquenão.

 

com os fogos recentes, a tristeza que se abateu e os resultados dramáticos, voltaram as magníficas ideias de colocar os reclusos a limpar as matas, estando mesmo a circular - repare-se ao ponto que se chega - uma petição online que recolheu mais de vinte e cinco mil assinaturas.

sim senhores, tão bem esgalhado, que pensamento tão bem construído, que ideia tão bela, estamos aqui, estamos a ganhar o prémio nobel da inovação.

 

primeiro, gostava que alguém me explicasse se já "seguiram" uma petição até ao fim e viram se aquela porcaria teve, algum dia, algum resultado prático que não o inundar das redes sociais e as caixas de e-mails: já assinaste? olha que não te esqueças de assinar", numa lembrança tão irritante como o "por eles hoje, por nós amanhã", recordando-nos que ajudar os outros tem como único objectivo sermos ajudados depois.

tira-me do sério, mas deve ser um problema meu.

 

depois gostava de saber se alguma das vinte e muitas mil almas que acharam a coisa boa ideia pensaram na logística:

* põem-se os reclusos a cortar silvas algemados? ou há um guarda prisional para cada recluso? ou constroem-se muros em volta de cada sítio que vai ser limpo? 

* e vão para todas as matas? ou só as do estado que, segundo consta são apenas 3% da floresta total?

* se forem todas, incluindo as privadas, também posso requisitar um recluso para me vir aqui a casa limpar os vidros? sempre era dinheiro que poupava da empregada.

* e já agora, posso requisitar outro para me fazer a cama? e já que estamos nisto, sei lá, arranjar outros para umas plantações de algodão e assim, e depois podia transacioná-los, os mais musculados até seriam um bom activo, e os filhos deles eram já minha pertença. 

é pá, isso é que era!

 

* vinte e muitas mil almas acham boa ideia trabalhos forçados, né?

por que não a força? ou sei lá, a fogueira ao género da inquisição?! tenho uma ideia melhor: recolhíamos a madeira queimada e púnhamos em cima os reclusos que não quisessem trabalhar, acendendo depois um fosforinho naquilo tudo.

não era bem?

ao mesmo tempo, colocávamos outros a construir pelourinhos e chicoteávamos os que se recusassem a arrancar unhas daqueles que não quisessem tipo, sei lá, cortar as silvas do mato de um senhor com milhões no banco mas que nem nunca pensou nos pinhaizinhos que herdou na província.

e por fim, só para concluir bem, num toma que já almoçaste, o tuga quando pensa, pensa, pegávamos nos restantes todos, púnhamo-los dentro de comboios e mandávamo-los, sei lá, para o meio dos incêndios mostrando aos alemães que ainda somos mais eficazes do que eles no que diz respeito ao "o trabalho liberta".

 

só gostava mesmo, mesmo, mesmo, mesmo de saber se todos os iluminados que assinaram a dita petição têm os seus matos limpos e os pinhais a respeitarem regras básicas ou se são daqueles que têm mato até à janela do quarto e até teriam na cama, se fosse possível.

ou se são daqueles que nunca atiram lixo para o chão e quando vão a sítios florestais limpam tudo.

ou ainda se são daqueles que quando vão ao gerês, por exemplo, deixam ficar a porcaria que produzem espalhada pelas matas porque... oh, oh, algum recluso lá vai limpar.

 

oh senhores, que consumição. 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:50


62 comentários

Imagem de perfil

De Olívia a 22.06.2017 às 12:23

Obrigada por colocares em palavras escritas estas coisas que me apoquentam a alma!

(penso que a petição dos contabilistas certificados conseguiu o objetivo inicial de revisão do calendário fiscal já no próximo ano, de resto não sei de mais nenhuma a fazer "efeito")
Imagem de perfil

De M.J. a 23.06.2017 às 12:26

bem mas nesse caso, essa petição devia ter alguma estrutura lógica. digo.
Sem imagem de perfil

De Aninhas a 22.06.2017 às 12:32

Reclusos a limpar floresta? Fuga certa! Não todos mas alguns iriam conseguir! Como eu já disse num comentário, os k recebem o rendimento, e vão buscar comida às caritas, e andam pr aí a passear, esses sim, deviam ser chamados pra esse trab, até os ciganos k recebem um monte de dinheiro, sem nunca terem descontado pra lado nenhum, esses sim! Se recusassem, deixavam de receber! Há pessoas k trabalharam mais de 30 ou 40 a descontar, e estão com reformas de 150€ e 200€, menos k essa cambada de malandros k pr aí andam!
Imagem de perfil

De oBomIdiota a 22.06.2017 às 13:49

Entenda uma coisa. Ninguém pode ser obrigada a trabalho escravo - ou seja, não pagando. E ninguém pode ser obrigada a trabalhos forçados - mesmo pagando.

Quanto aos ciganos, nem me pronuncio acerca de tamanha xenofobia. Há muitos mais portugueses "brancos" a aproveitarem-se do sistema, do que portugueses ou não "ciganos".

Um rendimento de re inserção social ser retirado porque a pessoa não quis ir limpar as matas do Quim Zé ou do Manuel António é só uma enorme barbaridade e estupidez.

E o seu último comentário é que não faz sentido nenhum. Ninguém que descontou 40 anos recebe 150€. Ninguém. É muito mais provável - quase certo - que alguém que afirme isso, estar a mentir, do que essa situação acontecer. No máximo, há situações pontuais, lapsos que ocorreram, devido a lapsos informáticos.

Gostava que provasse essas suas declarações. É muito bonito afirmar à boca cheia meia dúzia de inverdades e quem quiser que vá ver se é verdade ou não.

"Os que recebem o rendimento" - é tão cepa que nem sabe dar o nome às coisas.
Sem imagem de perfil

De moimeme a 22.06.2017 às 13:57

E aqueles desempregados que recebendo o Subsidio de Desemprego (para o qual descontaram a seu devido tempo) são obrigados a trabalhar em escolas, câmaras e outros... também é trabalho escravo??
São obrigados a fazê-lo, não podem recusar!
Ou só é socialmente bonito defender os que recebem o "Rendimento" e que provavelmente nunca contribuíram com um cêntimo que fosse para a Segurança Social?
Imagem de perfil

De M.J. a 22.06.2017 às 15:48

tenho dúvidas quanto à expressão "obrigados". estamos a falar de serem obrigados para não perderem o subsidio? ou obrigados porque serão algemados até lá? são coisas diferentes.

mas mesmo que fossem idênticas: uma coisa errada não justifica que se faça outra coisa errada. uma não compensa a outra.
e isso é o que todos nós temos dificuldades em compreender.
Imagem de perfil

De oBomIdiota a 22.06.2017 às 16:23

Não conheço ninguém que estando desempregado esteja a trabalhar em escolas ou câmaras, ou algo do género.

Aliás, tenho até um caso direto na família, de uma pessoa que estava desempregado(a) e foi "chamada" para ser auxiliar numa escola. Obviamente que ficou a contrato, passando a receber daí e não fundo de desemprego, e acabou por ficar a efetiva.

Essa mentalidade de que só porque descontaram têm direito a receber o fundo de desemprego e a ficarem à MAMA enquanto o mesmo não acaba, muitas vezes a fazer biscates por fora e a contribuírem para a manutenção de economias paralelas é que devia ser alvo de fiscalização muito mais severa.

Uma pessoa desconta, para caso tenha a infelicidade de se ver sem emprego não ficar desamparada. Mas qual é o objetivo? Não é arranjar emprego? Ou é arranjar emprego depois do fundo acabar?

É que uma coisa é garantir o subsidio/fundo de desemprego a quem fica sem emprego - Corretíssimo!

Ficar quieto em casa enquanto o fundo de desemprego não acaba - ERRADO

As pessoas têm obrigação de irem procurar trabalho, e se não encontram, e arranjam-lhes trabalho noutras áreas, acho muito bem que tenham de ir.

Agora, isso não se compara a obrigarem pessoas a limpar matas. Querem fazê-lo? Regulamente então. Tornem limpar matas numa profissão, cadastrem as propriedades e expropriem-nas, porque têm de ser públicas, ninguém tem que ser obrigado a trabalhar nas terras dos outros - o séc. XIX já acabou há muito - e ofereçam todas as formalidades essenciais a um contrato de trabalho (prazo, remuneração, subsidio de alimentação, horário, etc.) como fazem nas escolas e nas câmaras.

Quanto ao rendimento social de reinserção. Estamos a falar de cerca de 180€ que são dados a pessoas que vivem abaixo do limiar de pobreza - pelo menos declarado. Obviamente que quem aufere isso, a maior parte delas, nunca descontou para a segurança social, porque se descontasse é porque tinha emprego, ou tinha subsidio de desemprego por ter trabalhado e descontado para isso.

São 180€, não estamos a falar de milhões. Por favor, que falta de sensibilidade.
Sem imagem de perfil

De moimeme a 22.06.2017 às 17:13

"Não conheço ninguém que estando desempregado esteja a trabalhar em escolas ou câmaras, ou algo do género. " Pois eu falei porque conheço! Só na escola da minha zona estão "empregadas" mais de 6 pessoas nesse tipo de regime... não tem formação na área, mas como estão a receber o Subs. de Desemprego tem que "ocupar" essas vagas até o mesmo terminar, sendo que no fim desse são substituídas por outras na mesma situação! Ou seja, não só não podem/conseguem procurar trabalho nas suas áreas, como estão a "ocupar" uma vaga que poderia ser de alguém que pretendesse realmente trabalhar numa escola. E quem diz uma escola diz na Câmara Municipal onde acontece exactamente a mesma situação.
Ninguém falou em ficar em casa sem procurar emprego, muito pelo contrário, estamos a falar em ocupar essas pessoas!! No entanto não considero que seja escravidão!
Em relação ao rendimento social são 180 vezes quantos??? Se calhar chega aos tais milhões! ;)
Sem imagem de perfil

De carlos manuel antunes henriques a 23.06.2017 às 00:59

SE CALHAR VOCÊ PERTENCE Á MESMA CAMBADA, POR ISSO FALA ASSIM.
Sem imagem de perfil

De Sofia Marques a 22.06.2017 às 12:58

Eu acho que essas 20 mil e tal almas têm mato para limpar e sempre lhes ficava mais barato... just saying...
Imagem de perfil

De M.J. a 23.06.2017 às 12:26

ahahahahahaha
Imagem de perfil

De Alexandra a 22.06.2017 às 13:52

É isso mesmo.
Também há quem apele a que as matas sejam limpas por quem recebe o Rendimento Mínimo, acho que não há petição, mas nas redes corre o "apelo"... Eu sugiro que limpe as matas quem assina petições... olha que são muitos e eficientes ;)
Imagem de perfil

De M.J. a 23.06.2017 às 12:26

isso é que era. e nem era preciso irem limpar as matas dos outros. bastava limparem as próprias. já devia dar um grande avanço.
Sem imagem de perfil

De A Uva Passa a 22.06.2017 às 14:11

Odeio petições.
Acho o cúmulo da inépcia social. A intervençãozinha dos 'sofa surfers' das redes sociais.
Vale o que vale, que é o mesmo que dizer, não vale de nada.

Já tinha lido sobre esta de colocar os presos a limpar matas.
Há reclusos que limpam matas e arranjam jardins, mas são sobretudo os que estão integrados no chamado regime aberto do sistema prisional. São vigiados durante as 'actividades' por guardas prisionais, mas de forma subtil, para passarem despercebidos e não criarem qualquer tipo de estigma social. Mas são pagos. Normalmente são as autarquias que lhes proporcionam esta ocupação do tempo a troco de um vencimento, coisa que lhes poderá ser útil quando deixarem a cadeia.

Eu não acho mal se assim for. Acho bem.
É uma janela de oportunidade. Mas deve ser apenas para os reclusos que querem participar nos programas, não é à chibatada.
Imagem de perfil

De Eu e a Outra a 22.06.2017 às 14:54

Concordo! :)
Imagem de perfil

De M.J. a 23.06.2017 às 12:28

se assim for acho prefeitamente bem. muito útil até e de louvar. mas não é isso que é pedido. ou se é, não é isso que quem assina julga que é.
é o sangue. o vamos pôr essa gentalha a trabalhar. esses desgraçados. esses tristes que mereciam era trabalhos forçados na sibéria.
Sem imagem de perfil

De Parafuso a 22.06.2017 às 14:23

Muito bem dito.
Alguns dos comentários demonstram apenas como as pessoas têm dificuldade em perceber conceitos básicos, como os mais elementares princípios e direitos de uma sociedade desenvolvida, que respeita os direitos daqueles que não foram capazes de respeitar as leis da sociedade em que vivem. Por isso o seu post é tão importante.
Imagem de perfil

De M.J. a 23.06.2017 às 12:29

mas na verdade, se pensarmos bem, os comentários dessas pessoas são importantes:
para não esquecermos que existem e se continuar a lutar pelos direitos de uma sociedade desenvolvidas e de quem nela integra.
Sem imagem de perfil

De Aninhas a 22.06.2017 às 14:43

Podia lhe provar td isso sim! Mas deves ser mais uma dessas pessoas k estão a receber, sem nunca ter descontado! Ou então tens uma boa reforma, ou bom ordenado e pensar k tá td no bem bom como tu! Td gentalha de meia tigela! E CEPA, vai chamar a PU. . da tua mãe, k não te soube dar educação, e a respeitar a opinião dos outros.
Imagem de perfil

De M.J. a 22.06.2017 às 15:51

alto lá. se o comentário era para mim temos um tom agressivo que não sei de onde vem mas que não lhe voltarei a admitir. se não era para mim mas para outro comentador... também não admito.
cepa não é uma palavra bonita, filha da puta também não com a diferença que cepa é para a sua própria pessoa, filha da puta é para outra que nada aqui tem a ver.

e repare: a partir do momento em que chama filho da puta alguém por esse alguém não ter educação...hum... há se calhar aí uma contradiçãozita que convinha ir ver.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.06.2017 às 14:48

Ver os vencimentos de um bombeiro... mesmo um profissional, que não seja sapador, é muito mal pago. E depois hipocritamente andamos a solicitar apoios para os bombeiros, quando nem estatutos de carreira, equiparados aos militares, pois os mesmos foram considerados combatentes...
Sem imagem de perfil

De carlos manuel antunes henriques a 23.06.2017 às 01:27

ATÉ, COM O MEU MAIOR RESPEITO PELAS SENHORAS DA LIMPEZA, MAS OS BOMBEIROS RECEBEM, JULGO SABER QUE 3,5 OU 4 EUROS À HORA, ISTO É UMA GRANDE TRISTEZA, E DEPOIS QUEREM BOMBEIROS??????????????
Sem imagem de perfil

De a incrédula a 22.06.2017 às 15:01

estou pasma então pôr os presos, as pessoas que recebem o rendimento social e que nada fazem,a limpar matas são trabalhos forçados? e para os donos das matas muitas vezes herdadas,pessoas já idosas a viver com o rendimento mínimo não é trabalhos forçados? em que ficamos? por favor respeitem essa gente que como todos sabemos a maioria não têm condições nem dinheiro para o fazer trabalharam a vida inteira e agora ficaram sem nada.Ao passo que as outras têm idade e seria uma oportunidade de fazerem algo útil em prol do País porque quem paga a despesa com os presos e os rendimentos mínimos somos todos nós em impostos,somos nós que os sustentamos.
Imagem de perfil

De M.J. a 22.06.2017 às 15:54

oh... será? idosos a viver do rendimento terão grandes matas para limpar? o rendimento mínimo não é atribuído a pessoas com propriedades (e se o é vai contra a lei). se estamos a falar de rendimento mínimo no sentido de reformas baixas (até porque o rendimento enquanto subsídio já nem tem essa nomenclatura) também não creio: idoso que vive com reformas assim tão baixas não tem património de terrenos para limpar. e se tem vende para comer.
Sem imagem de perfil

De Cristina a 23.06.2017 às 08:58

Existe uma grande parte destes proprietários que não têm dinheiro para mandar limpar os terrenos pois na sua maioria estes terrenos foram herança de familia nada tem haver com os redimentos que têm hoje em dia.
Vender os terrenos seria uma boa solução mas não há compradores porque na maioria deles não se pode construir e o resto não é rentável.
Quantos as presos limparem as matas, seria uma logistica dificil (mas não impossivel) e não ficariam todo o dia no descanso enquanto alguns de nós trabalhamos para pagar a "estadia" deles por terem feito porcaria.
Leio por aqui tanta peninha dos presos que me irrita um pouco mas cada um tem a liberdade de ter as suas "peninhas"
Imagem de perfil

De M.J. a 23.06.2017 às 10:22

esses malvados dos presos, não é?
lá são merecedores de respeito!

era o pelourinho, a forca e os comboios para o fogo. tal qual escrevi.
Sem imagem de perfil

De Cristina a 23.06.2017 às 10:33

Não falei de falta de respeito... trabalhar nunca será faltar ao respeito a ninguém.
Imagem de perfil

De M.J. a 23.06.2017 às 10:40

depende.
olhe que consigo ver uma série de exemplos - extremos - em que trabalhar foi - e ainda é - uma grande falta de respeito.
Sem imagem de perfil

De Cristina a 23.06.2017 às 10:57

sim é verdade mas nesta situação não seria... ninguém fala de andar à chicotada ou trabalhos forçados sem direito a água e descanso :-)
Imagem de perfil

De M.J. a 23.06.2017 às 11:28

bem, se foram salvaguardados os efetivos direitos então não há motivo para falar em peninha, tal como mencionou atrás.
se forem salvaguardados os devidos direitos eu também concordo:
* liberdade de ir ou não ir;
* retribuição se forem;
* regulação especifica;

sem isso é desrespeito.
acho que já falamos tudo.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.06.2017 às 15:58

Devia-se fazer era uma petição para o SAPO deixar de colocar trampas desta em destaque! Não há mesmo pachorra para tanta infantilidade.
Imagem de perfil

De M.J. a 22.06.2017 às 16:00

concordo. mas tenho uma ideia melhor: era pôr os reclusos a filtrar o que deve ser ou não destaque. trabalho por trabalho...
Imagem de perfil

De Maria a 22.06.2017 às 16:35

Ahahahah, BRILHANTE! ("pôr os reclusos a filtrar o que deve ser ou não destaque")
Imagem de perfil

De Alexandra a 24.06.2017 às 23:56

Eu proponho por o SAPO a limpar matas, para aprender a não dar destaque a estes blogs que incomodam os anónimos coitadinhos

Comentar post


Pág. 1/3



foto do autor