Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




sabem aquelas pessoas

por M.J., em 14.06.17

que acham todas que os cães são fofinhos, queridinhos, como criancinhas e que insistem em falar com eles como se fossem putos cagados de meio ano?

 

e quem é o menino da mamã? quem é? tá com fominha, tá? agora vai comer a comidinha e depois vai dormir na sua caminha, tapadinho, com muitos beijinhos da mãezinha! coisinha boa!

 

mesmo que em causa esteja um pastor alemão, com ar chateado?

 

acho essas pessoas idiotas.

 

eu cá, quando imagino um cão a falar em resposta a isto, mesmo um caniche, penso sempre numa voz grossa, roufenha, e as palavras seguintes:

- que é que foi humano idiota? seu burro! pensas que estás a falar para ti mesmo ou o caralho? tem respeito pelos meus bigodes e dá cá uma salsicha! mãezinha!!! pffffff. preferia sair do buraco de um gato do que da tua barriga! isso, dá cá um beijinho, acabei de lamber os tomates, vai-te saber melhor!

 

deus! tenham respeito pela dignidade dos pobres bichos!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00


28 comentários

Imagem de perfil

De Alexandra a 14.06.2017 às 10:16

Devias arranjar um cão. É um assunto que te atormenta muito. Se tiveres um isso passa ;)
Imagem de perfil

De M.J. a 14.06.2017 às 10:22

ah, o mesmo argumento da maternidade!
até nisso!
Imagem de perfil

De Alexandra a 14.06.2017 às 11:10

Só vivendo as situações se pode falar delas com propriedade.
Não vivendo, também se pode, somos livres, tão livres como somos de chamar filhinho ao cão e cão danado ao filho... são vidas.
Imagem de perfil

De M.J. a 14.06.2017 às 11:12

exatemente. e é por isso que não entendo o conselho.
Imagem de perfil

De Alexandra a 14.06.2017 às 11:21

É um conselho com o mesmo intuito do post, deitar palavras fora. No fundo, não servem para nada, porque ninguém vai mudar nada por isso.
Imagem de perfil

De M.J. a 14.06.2017 às 11:23

para mim serve: para rir.
Imagem de perfil

De Alexandra a 14.06.2017 às 11:29

Como não tenho pretensão de ensinar nada a ninguém, considero que já serviu de alguma coisa útil.
Imagem de perfil

De M.J. a 14.06.2017 às 11:51

confesso que agora fiquei perdida.
onde está a pretensão de ensinar nesta conversa toda?
Imagem de perfil

De Alexandra a 14.06.2017 às 12:04

Poderia estar no meu conselho, se eu tivesse ideia de ensinar alguma coisa, como não era essa a ideia, fazer-te rir foi um sucesso de comentário.
Imagem de perfil

De M.J. a 14.06.2017 às 12:08

não mulher, não foi o teu conselho que me fez rir, pá :) esse até era válido se pensarmos no assunto.
o que me faz rir é o assunto em si! é imaginar o cão a falar com voz de adulto. :D
Imagem de perfil

De Alexandra a 14.06.2017 às 13:00

Oh!! Tinha piada era ter sido o conselho, já que não serve para mais nada :D
Imagem de perfil

De Olívia a 14.06.2017 às 11:00

(eu acho que a MJ já teve um... e não passou...)
Imagem de perfil

De M.J. a 14.06.2017 às 11:11

ah, sim, já tive.
já ecsrevi sobre isso, deve andar por ai, é só procurar. achava que queria muito e depois percebi que um cão não foi feito para estar o dia inteiro num apartamento e sujeitá-lo a isso, com esporádicos passeios de cinco minutos, é quase tortura. um cão tem de correr, cheirar, sair, ter um um espaço. e eu não tinha.

evidentemente que não o abandonei e jamais faria isso (e quem faz deve ser condenado, nos termos da lei e enfim, noutros termos que eu bem sei). mas encontrei uma família que tinha exatamente essas caracteristicas (e em última instância os meus pais também teriam todo um campo para o bicho na serra).
Imagem de perfil

De A rapariga do autocarro a 14.06.2017 às 10:17

Também acho que há pessoas que ultrapassam um "bocadinho" o admissível!
Imagem de perfil

De M.J. a 14.06.2017 às 10:48

bem, em boa verdade, o admissivel é o que cada um quiser e antes a mais do que a menos. mas se o fazem em público não consigo parar de imaginar que o bicho, se fosse tão humano como o tratam, morreria de vergonha.
Sem imagem de perfil

De Sofia Marques a 14.06.2017 às 10:35

Oh sim, há pessoas que realmente não têm a noção... Dizem com cada coisa quando andam a passear os cães que nem quero imaginar como são em casa...
Gostava mesmo era que esse amor pelos caezinhos fizessem com que andassem sempre com saquinhos para apanhar os cocozinhos tão perfumadinhos que deixam em todo o lado...
Imagem de perfil

De M.J. a 14.06.2017 às 10:49

isso. em to-do o lado.
e sabes o mais triste?
nunca é ninguém. juram todos que no caso deles isso não acontece e que apanham sempre.
mas há em todo o lado merda de cão. às vezes caminhar é como atravessar um campo minado.
Imagem de perfil

De Olívia a 14.06.2017 às 10:46

Não me levem a mal algumas pessoas, mas pelo que vejo são as pessoas mais carentes ou sós que têm esse tipo de atitudes! Conheço casos em que os próprios filhos não se importam de serem "irmãos" dos cachorritos... noutros casos há grande afeição pelos animais, mimos, comidinhas boas, mas existe sempre a linha que separa uma pessoa de um ser humano!
Eu já tive cão, um dia voltaremos a ter e será mimado porque lá em casa tratamos bem os animais, mas nunca me ouvirão chamar-lhe "filhinho da sua mamã"
Imagem de perfil

De M.J. a 14.06.2017 às 10:51

tratar bem de um animal não é a mesma coisa que o tratar como uma pessoa.
um cão descende de lobos. um cão procura um líder e uma matilha. um cão não procura uma mãezinha fofinha.
além disso, se insistem em tratar um cão como um humano por que raio hão-de tratá-lo como se fosse uma criança de dois anos mesmo que o bicho seja idoso? também tratam os avós por "minha coisinha linda, deixa-me fazer uma coxeguinha nessas bochechinhas fofinhas?"
Imagem de perfil

De Gaffe a 14.06.2017 às 11:18

Há avós que tratam os netos assim. "minha coisinha linda, deixa-me fazer uma coxeguinha nessas bochechinhas fofinhas?"
Os cães deviam tratar os donos assim também.
Imagem de perfil

De M.J. a 14.06.2017 às 11:25

eu cá imagino sempre os cães a dizer palavrões. não sei porquê!
mente doente a minha.
Imagem de perfil

De Olívia a 14.06.2017 às 11:58

*existe sempre a linha que separa um animal de um ser humano!
Sem imagem de perfil

De Celeste Cordeiro a 14.06.2017 às 11:15

Cresci na aldeia, onde era normal criar animais para consumo próprio, os cães e os gatos não dividiam o espaço habitável ficavam na rua.
Na minha opinião as pessoas neste momento estão a substituir os afetos devidos aos humanos, por afetos dados aos animais.
Há algum tempo apareceu no meu face uma senhora, cujo cão resolveu ir dar uma volta na vizinhança, que falava com o cão nos seguintes termos " tu não vês que a doninha tem muitas saudades tuas, passa os dias a chorar etc, etc"
Para mim é ridículo.
Imagem de perfil

De M.J. a 14.06.2017 às 11:24

concordo em pleno. aliás já ecsrevi sobre isso:
http://www.eagoraseila.pt/maluquinhos-dos-animais-1127526
Imagem de perfil

De Psicogata a 14.06.2017 às 12:05

"dá cá um beijinho, acabei de lamber os tomates, vai-te saber melhor!!!"

Não consigo parar de rir.

Eu adoro animais, só não tenho um zoo porque não posso, mas para mim há uma linha que separa um humano de um animal, não consigo entender quem trata da mesma forma um filho e um animal.
Cada um faz o que entende, mas que é estranho é.
Imagem de perfil

De M.J. a 14.06.2017 às 12:10

eu também adoro animais. não tenho porque num apartamento não consigo encontrar as condições para a salutar convivência entre eles e eu. mas quando me mudar para uma casa, como a dos meus pais por exemplo, vão haver dois cães no jardim.
e serão cães. e naquela manada eu não serei a mamã mas a líder! (ia dizer dona mas há gente que se ofende com o significado de possessão como se fossem coisas que, juridicamente, já nem são).
Imagem de perfil

De Psicogata a 14.06.2017 às 12:18

Para mim continuamos a ser donos dos nossos animais, não consigo pensar de outra forma, não serei mãe, só se for mesmo líder :)

Acho que fazes bem, ter um cão num apartamento, especialmente se for de grande porte, é uma atitude egoísta.
Sem imagem de perfil

De Aninhas a 16.06.2017 às 14:36

:-):-):-):-)-tá demais! :-):-):-).:-).

Comentar post



foto do autor