Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




"são vidas, senhor"

por M.J., em 23.08.16

uma amiga minha está prestes a parir.

digo a palavra "parir" e o rapaz arrepia-se todo, na lembrança dos tempos em que parir eram as vacas, noite alta dentro do curral na espera, a impaciência nas patas de um lado para o outro até sair o vitelo, "não se diz parir, tanta maneira de o expressar, para quê recorrer à palavra que lembra animalada, dores, palha e preocupação?"

encolho os ombros. dar à luz faz-me lembrar uma daquelas piadas idiotas do "entra um português, um espanhol e um francês dentro de um comboio". "ter um bebé" leva-me o cérebro até gente que pega em puto alheio na maternidade e os leva debaixo do braço para casa".

uma consumição. 

vai parir e quando reparo nisso, quando penso a fundo e pego nas minhas vestes e as coloco nela e me imagino, que imaginamos sempre, quase de uma forma vivida eu ali, eu na espera, eu na certeza que a minha vida seria, a partir de agora, sujeita a vontades, medos, preocupações, angustias, dores que não são minhas arrepio-me.

a verdade é que me consome um medo tremendo, quase visceral por tamanha responsabilidade. o ser humano tem a fantástica capacidade de ir vendo as coisas à medida que acontecem. dizem os mais entendidos que não vale de nada sofrer antes e depois e, na maioria das vezes, aplica-se isso em tudo mesmo quando o tudo é uma vida completa, com dedos e angústias, fraldas e dores, consciência e capacidade de sonho. pega-se na máxima "depois se vê", alia-se a sonhos disparatados de relógios biológicos,junta-se os pós de perlimpimpim que "desde que com barriga cheia e cama lavada tudo se resolve" e põe-se vidas no mundo.

sem pensar muito que pensar estraga a magia.

ultrapassa-me. olho nos olhos de meio mundo, de meias histórias que me entraram vida dentro "e ósdespois ele quer ver o filho mas se não paga não vê"; "o meu filho é o que mais amo na vida e não tem culpa da mãe que tem mas era só o que faltava andar a pagar para a manter"; "tenho direito a quinze dias de férias com ele. quero lá saber se quer estar com o meio irmão. nem é irmão verdadeiro!"; "não falo nada baixo. estou na minha casa. ela que ouça berrar que berrar não mata ninguém", e tantos outros meu deus, tanta coisa, tanta merda de gente que lambe a boca para dizer amar na plenitude da palavra ("amo mais do que tudo mas se não fossem eles podia ter uma vida diferente, ah lá isso podia"), e continuar a querer emprenhar e dar vida ao mundo que fico pasma.

a infância é, efectivamente, tempo de formação e moldar a vida para a vida. temos gravados em nós grandes traumas, apegos, desapegos, cheiros, culpas, sorrisos, felicidades, momentos do que fomos e ainda somos pelo que crescíamos. e ainda assim, quando finalmente somos grandes e podemos perceber a nossa (in)capacidade para provocarmos o mesmo em outras vidas, encolhemos os ombros "depois se vê, não posso prever o futuro, sempre quis tanto ser pai..."

 

a minha amiga vai ser mãe. não tenho duvida alguma que será uma boa mãe. conheço-a desde sempre. vi-a crescer e sei no que se tornou. assumiu a sua decisão e terá uma vida a repousar ao seu lado tarda nada. uma vida que lhe moldará vontades, desejos e anseios. uma vida que dependerá integralmente dela.

a minha amiga está absolutamente radiante.

eu estaria, disso não tenho dúvidas, absurdamente em pânico.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:30


5 comentários

Imagem de perfil

De Magda L Pais a 23.08.2016 às 11:38

'tarias nada que a Seita também estará cá nesses momentos
Imagem de perfil

De M.J. a 23.08.2016 às 14:46

a seita não muda fraldas :D
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 23.08.2016 às 14:57

essa é a parte mais fácil. O rapaz faz ahahahaahahahahahaha
Imagem de perfil

De Genny a 23.08.2016 às 12:36

Não és só tu que ficarias em pânico. A minha já tem 22 anos e continuo em pânico todos os dias. É uma grande responsabilidade ter um ser humano dependente de nós e nunca sabemos se estamos a fazer realmente o melhor. Não é por desejarmos muito ter filhos que nascemos ensinadas e sabemos tudo. Erramos bastante e acertamos em algumas coisas. É uma aprendizagem diária, porque a vida não vem com livro de instruções como bem sabes.
Imagem de perfil

De M.J. a 23.08.2016 às 14:46

isso é porque não sou a mandar.
se mandasse nisto tudo havia manuais de instruções completamente detalhados :D

Comentar post