Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




depois de ter tido uma máquina de lavar roupa das mais caras decidi que tenho de partilhar convosco, meus seguidores amados (que me amam loucamente e fartam-se de me perguntar coisas) a experiência acerca disso: foi quase como ter uma empregada doméstica (mas daquelas boas, com uma licenciatura tirada ao domingo, a saber tocar piano e falar francês) numa relação laboral (com contrato) que durou sete meses, estão a ver? e fui eu que decidi pôr um ponto final neste vínculo laboral.

é que ainda não vos disse muitas vezes mas digo agora: não gostei daquela máquina cara, oferecida por ocasiões do casamento e que não combinava nada com os restantes electrodomésticos da cozinha (muito mais baratos e que, sei com certezas, se sentiam diminuidos perante a magnitude da minha máquina nova ca-ri-ssi-ma).

não gostei, pronto. e não gosto. lá lavar bem, lavava. mas era lenta, não desdobrava as meias - o que me aborrecia imenso, tinha imeeeeeensos botões (complexo que só visto) e, pior do que tudo, não me servia cafés: toda a gente sabe que uma máquina cara ou tira cafés ou não presta.

assim, hoje, após ir à garagem buscar a minha velha máquina, que me acompanha desde que acabei a licenciatura e me tornei do-to-ra, posso dizer que virei a página. mais do que isso. posso dizer que tenho de me sentir satisfeita com o que tenho, mesmo tendo uma máquina muito cara e uma muito barata. sobretudo porque o facto de ter as duas deve levar-me a escolher a que mais gosto tendo em conta as minhas necessidades de lavagem de roupa e não as minhas necessidades de snob armada em senhora e rainha do mundo.

mais. não preciso de ter uma máquina de lavar roupa daquelas caras para ser uma blogger de excelência (já toda a gente sabe que sou, sobretudo porque fartam de me mandar questões e mails e é assim, tipo, uma chatice) e muito menos uma dona de casa per-fei-ta. 

aprendi com isto que ter uma dessas máquinas muito caras é para quem pode, quem gosta de ter electrodomésticos ri-di-cul-men-te caros e sobretudo não os aprecia por aquilo que fazem, tipo, desencardir os panos da louça e pôr as cuecas a cheirar a amaciador, mas para puderem dizer "a minha máquina de lavar roupa custou cinco mil euros". 

todos sabemos que quem tem máquinas de lavar roupa caríssimas é fútil e não sabe o que fazer ao dinheiro. e eu não posso, amados fãs, cair nisso. 

é por isso que vos digo, pela experiência que tive com a minha ex-máquina de lavar, agora relegada a um canto na garagem, que não é preciso ter uma daquelas coisas caras para se ser ou achar-se boa pessoa: mais! ter uma máquina de lavar cara é egoísmo e uma forma de se achar importante porque toda a gente sabe que quando uma pessoa tem muito dinheiro tem mais é que o canalizar para os pobrezinhos, coitadinhos, todos magrinhos a morrer de fominha em áfrica. 

é por isso que aprendi uma lição com esta minha máquina cara: não é preciso ser uma boa pessoa só porque tem algo caro. o que é preciso é amar os electrodomésticos, mesmos os baratos, do fundo do coração e dar-lhes o que nos dão na mesma proporção: cuecas lavadas em troca da conta de electricidade paga.

isso e amaciador do bom.

 

#noçãoépreciso

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:15


12 comentários

Sem imagem de perfil

De Meio Palmo a 22.12.2016 às 14:56

Sim, o amaciador é muito importante! Pessoalmente, mais do que a performance da máquina de lavar, detesto o cheiro a alfazema. Feliz Natal!
Imagem de perfil

De Rooibos a 22.12.2016 às 18:07

Eu é que não bebi nada, mas quando li "máquina de lavar cara" imaginei que havia máquinas para lavar a cara. E imaginei qualquer coisa para pormos a cara lá dentro e que tivesse uns esguichos de água.
Só quando comecei a ler o post é que percebi que cara é um adjectivo...
Sem imagem de perfil

De Joana B. a 22.12.2016 às 17:54

já agora quero saber o que bebeste ao almoço porque pelo efeito que deu deve ser bom :)

Feliz natal M.J.
Imagem de perfil

De M.J. a 22.12.2016 às 19:44

Sibstitui máquina de lavar por PC e imagina escrito por uma adolescente snob. Vais logo perceber que não bebi nada. Só li :)
Sem imagem de perfil

De Joana B. a 23.12.2016 às 00:31

aaaaahhhhh
já percebi :)
Sem imagem de perfil

De Cristina a 22.12.2016 às 18:54

correndo o risco de obter uma resposta muito em voga nas bloggers (que se consideram) de referência ("ora leia com atenção o que eu escrevi e assim e tal"), mas tu tens:
- 1 máquina;
- 2 máquinas, sendo que a melhor, ou mais cara, está em pousio;
- outra hipótese?
Imagem de perfil

De M.J. a 22.12.2016 às 19:43

Só tenho uma. O texto é uma sátira ;)
Sem imagem de perfil

De Cristina a 22.12.2016 às 20:08

pronto. obrigada pela resposta, MJ. mas olha que eu li com atenção...
Imagem de perfil

De M.J. a 22.12.2016 às 20:14

Acredito (mas eu não escrevo daquela forma).
Sem imagem de perfil

De Cristina a 22.12.2016 às 20:19

está explicado. não "te" reconheci, daí a perplexidade, daí não perceber.
Imagem de perfil

De M.J. a 22.12.2016 às 20:25

É que terias de ler o texto original ;)
Imagem de perfil

De Quarentona a 23.12.2016 às 00:22

Bom, eu desconfiei pelo "meus amados seguidores" mas pensei que o vinho era mesmo dos bons :P

Comentar post



foto do autor