Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




sim, sim, vou editar um livro!

por M.J., em 30.01.15

uma vez, nos meus longínquos vinte anos, enviei uma merda que tinha escrito para a chiado editora. era quase uma criança com um sonho prestes a ser concretizado pois lera na net que uma editora estava disposta a receber as merdas que escrevíamos e as editava caso achasse que tinha qualidade.

e sim, propuseram-se a editar as minhas tretas (só de as ler agora quase que morro de vergonha) desde que eu comprasse, depois, uma série de exemplares (acima dos duzentos e cinquenta). basicamente era o meu pagamento por ver as minhas letras impressas.

achei aquilo obtuso e comecei a escrever num blog.

a questão é que desde essa altura sou presenteada no meu mail com coisas lindas como "cursos de escrita criativa: vinte euros por mês e torna-te o próximo m. tavares"; frases do chagas, muito bonitas, nada repletas de lugares comuns e numa literatura lindíssima (“o orgasmo devia ser considerado serviço público e as prostitutas deviam receber louvores e reconhecimentos – não conheço nada que faça tão bem ao stress.”) e coisas como o e-mail que segue abaixo e que podereis apreciar:

 
"Caro(a) Autor(a),
 
É com muito prazer que a Chiado Editora anuncia que se encontra a organizar o VI Volume da Antologia de Poesia Portuguesa Contemporânea: "Entre o Sono e o Sonho". A selecção dos poemas a constar da obra será de Gonçalo Martins e o lançamento realizar-se-á em Março de 2015, celebrando o Dia Mundial da Poesia!
 
O objectivo da obra é ser verdadeiramente representativa do trabalho que os Poetas Contemporâneos Portugueses estão a realizar, pelo que, na continuação dos anteriores volumes, a obra irá antologiar mais de 1.000 Poetas!
 
Desta forma, estamos convidá-lo(a) a enviar um poema para que seja apreciado e, eventualmente, fazer parte do VI Volume da Antologia de Poesia Portuguesa Contemporânea: "Entre o Sono e o Sonho".
 
Para tal preciso que me envie, até ao próximo dia 5 de Fevereiro, um poema seu, que considere ser representativo do seu trabalho, com um limite máximo de 30 versos, contando com o intervalo entre linhas. O mesmo deverá ser acompanhado do nome de autor(a) que deseja que figure na obra, bem como a cidade de residência do(a) autor(a).
 
Aos Autores antologiados não será solicitada nem oferecida nenhuma contrapartida para a participação na obra, não serão igualmente ofertados exemplares da mesma.
 
Fico então a aguardar o seu poema.
 
Com os melhores cumprimentos,"
 
portanto, basicamente, todos nós podemos ser poetas contemporâneos (já existiram cinco publicações antes. c-i-n-c-o) desde que consigamos escrever um poema lindo. melhor que isso. todos nós veremos o nosso poema editado e poderemos comprar o livro onde aparece o nosso nome para mostrar aos amigos como somos bem.
ou seja, se o exemplar fabuloso onde escrevemos, e do qual nem sequer nos é oferecido um único para guardarmos como recordação, custar digamos... 20 euros (mil folhas é muita folha, ou quinhentas vá) os senhores da editora ganham, garantidamente, 20.000€ (para esta não precisamos de calculadora). e mais! possivelmente os avós, tios, primos, namorados e pais irão comprar o livro, no orgulho desmedido de o pôr na estante principal da casa, ao lado da enciclopédia adquirida a prestações, para mostrar a toda a gente que têm alguém na vida que é famoso, pelo que o valor garantido da editora aumentará. 
conclusão deste romance: sai para as livrarias um mamarracho gigante, a aumentar o ego do pessoal, num lucro desenfreado para uma editora que concretiza sonhos. não é bonito?
 
eu por mim, no respeito do tema, vou já fazer uma ode ao alprazolan, sem levar em atenção a bula, pois claro, que só pode ter trinta versos. 

ah o sonho, assim concretizado, numa pernada só!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:30


2 comentários

Imagem de perfil

De Gaffe a 30.01.2015 às 12:03

Não imaginas a quantidade de gente que embarca nessa canoa!
Imagem de perfil

De M.J. a 30.01.2015 às 16:51

acredito. só é pena a quantidade de árvores mortas para isso.

Comentar post



foto do autor