Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




sobe-me sempre a mostarda ao nariz

por M.J., em 11.03.16

quando ouço/leio coisas como as seguintes:

 

Quando não se defende o direito à vida, em todas as circunstâncias, deixa de haver direitos fundamentais a defender.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:17


8 comentários

Sem imagem de perfil

De josef a 11.03.2016 às 17:46

essa do: "todas as circunstâncias" é fo**da, é uma falácia monumental de caráter mitológico. o único legado objectivamente absoluto que todos os nascituros recebem dos progenitores é a morte. é só uma questão de tempo. tudo o resto, que a M.J. tanto pondera, com ou sem exageros, é incerto.
bom fim de semana

Imagem de perfil

De M.J. a 16.03.2016 às 17:22

bom fim de semana vá, com alguma adiantamento.
Imagem de perfil

De Just_Smile a 11.03.2016 às 18:19

Oi?...
Imagem de perfil

De M.J. a 16.03.2016 às 17:22

ah pois!
Imagem de perfil

De Violinista a 11.03.2016 às 18:50

Da defesa da "vida em todas as circunstâncias" pergunto-me então como se sentirão quando acabam com a vida de moscas, aranhas, formigas, baratas, ou até mesmo da bicha solitária e das pobrezinhas das bactérias. Também são vida.

Ah, mas é só a vida humana. Ok, para os mesmos que defendem andar aos tiros aos pretos e chineses e muçulmanos (não sei como vejo sempre estas duas teorias juntas na mesma pessoa). Ou isso, ou andam a defender a miserabilidade, porque enquanto o puto está dentro da barriga acudam que ele merece viver, depois cá fora que se amanhe sozinho.
Imagem de perfil

De M.J. a 16.03.2016 às 17:22

eutanásia.
falava-se da eutanásia.
Sem imagem de perfil

De OKaede a 11.03.2016 às 20:44

Resulta de pessoas que escrevem mas não pensam. Ou os dedinhos não são cautelosos, ou o cérebro não aprofunda a coisa... Acho que toda a gente já cometeu estes erros mentais. Há falta de calma para pensar como deve de ser.
Imagem de perfil

De M.J. a 16.03.2016 às 17:23

há falta de pensar.
não é calma.
é pensar mesmo.

Comentar post



foto do autor