Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




vai haver casório #13

por M.J., em 12.01.16

confesso que o pior de tudo nesta coisa do casamento é a entrega dos convites. pior do que escolher os ditos, do que pagar por uma coisa que não ficou bem feita, do que olhar com os olhos bem focados para conseguir ler as palavras é entregá-los.

pior porque é imperativo que convide pessoas que foram (e consequentemente são) importantes numa dada altura da vida mas que o tempo, sempre com a minha ajuda, se encarregou de afastar. é difícil porque não as convidar não só me entristeceria - por esse fim abrupto do significado que se transforma - como colocaria o ponto final na importância que foi e que, dessa forma, informa de maneira formal que já não é.

sei perfeitamente que se existem estas dúvidas, se existe a barreira do "como entrego, o que digo, como faço" é porque algo vai mal. sei-o. não tenho sequer qualquer dúvida de que eu, ajudada com o tempo, pus a pata na poça, deixei cegar-me pelo orgulho e segui, com a cabeça erguida na presunção torpe dos cobardes.

mas mesmo assim, na simbologia do momento que é a formalização da vida que decido partilhar com alguém, não convidar algumas pessoas, simplesmente ignorar e anunciar, de forma pública e ostensiva que não, não quero que estejam ao meu lado nesse dia revolta-me o corpo, dói-me, entristece-me porque não é verdade.

porque quero. 

muito até.

não é o casamento em si. vivo casada faz tempo. não é a data por si só. não é a mudança da vida que o dia vai fazer. é o marco. a simbologia. a passagem de um tempo em termos da decorrência da vida que faz sentido ser acompanhado pelos que foram (e são, por consequência) importantes.

pelos que, de alguma maneira, me trouxeram até aqui. alguns, diga-se de passagem, de forma bem activa.

 

e é nesse exacto ponto que a porca torce o rabo. 

como dizer, como quebrar a barreira do tempo, do espaço, dos dias e chegar e falar e entregar um pedaço de papel? de nariz erguido e olhos direitos espelhando que nada se passou, tudo está bem quando não está? quando errei tanto?

 

oh merda para isto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:52


10 comentários

Sem imagem de perfil

De Jorge a 12.01.2016 às 13:32

Em termos de impostos não sei se compensa o casamento...no meu caso não, depois de feitas as contas, desconto menos a viver em união de facto.
Imagem de perfil

De M.J. a 12.01.2016 às 15:36

pronto. então é continuar :)
Sem imagem de perfil

De Jorge a 12.01.2016 às 15:37

No meu caso é.
:)))
Imagem de perfil

De Just_Smile a 12.01.2016 às 13:36

Sabes? Às vezes penso nisso se me vier a casar (que é objetivo dos dois)... gostaria de ter algumas pessoas presentes que nem sei como as encararia com um convite...
Agora imagino tu, como estarás neste momento, agora com essas entregas...
Imagem de perfil

De M.J. a 12.01.2016 às 15:36

não estou lá muito bem, não.
Imagem de perfil

De Just_Smile a 12.01.2016 às 19:15

Imagino como será, apesar de preferir não imaginar...
Imagem de perfil

De M.J. a 14.01.2016 às 17:50

ah se soubesses... se soubesses!
Imagem de perfil

De Just_Smile a 14.01.2016 às 18:35

Prefiro não saber :P
Imagem de perfil

De M.J. a 14.01.2016 às 18:45

é melhor :D

Comentar post