Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




vim almoçar com uma amiga de aveiro

por M.J., em 30.09.15

que me veio visitar.

tás tão magra MJ, disse ela, e para comemorar decidimos vir ao fórum, ainda que eu saiba que ela está a mentir. eu de tshirt e ténis, ela de saltos e vestido.

entramos numa loja que não há em aveiro. a funcionária olhou para mim como se eu lhe fosse pedir uns trocados para tabaco e perseguiu a minha amiga constantemente, ignorando a minha presença, ao lado, como se eu fosse um rafeiro que perdeu o dono.

afinal não estou nada magra. e devo mesmo parecer pelintra.

nem boa tarde me disse quando viemos embora.

como vou sobreviver?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:46


6 comentários

Imagem de perfil

De Fatia Mor a 30.09.2015 às 13:38

Conheço em primeira mão, uma história fabulosa com o preconceito dos lojistas. Uma amiga nossa de família, podre de rica, mas com o ar mais simples do mundo, passou numa ourivesaria na baixa da cidade e olhou para uns brincos, rubi e ouro branco que ela diz ter adorado. Entrou, disse bom dia, e não obteve resposta.
Passado um bocado perguntaram-lhe se ela queria "alguma coisa". Respondeu pacientemente que sim, queria saber o valor dos brincos que estavam na montra. A resposta foi "são muito caros". Ela enervou-se ligeiramente, mas diz que prosseguiu "ainda assim quero vê-los e saber o preço". A empregada foi, tirou-os, colocou-lhos à frente e virou a etiqueta para cima, para que visse o preço. Penso que eram uns trezentos contos, ou coisa assim.
A empregada prosseguiu a dizer que eram caríssimos e "nem todas as carteiras podem pagar aquele valor".
"pois bem" respondeu-lhe e abriu a carteira e começou a sacar notas de 20 contos até perfazer quase o dinheiro. Diz que se deu ao trabalho de bater as notas todas na mesa enquanto contava em voz alta. E quando ia bater a última e perante o olhar brilhante da senhora, disse "olhe, afinal já não quero; é que há lojas que não são para a minha carteira". Pegou no dinheiro, saiu e não voltou lá.
Era a mesma pessoa que comprava às colecções de roupa em vez de comprar às peças, mas apenas pelo prazer de depois as oferecer a instituições...

Pronto, já contribuí... Podemos parecer pelintras... mas não o ser é mais importante!
Imagem de perfil

De M.J. a 30.09.2015 às 15:26

magnifico! fantástica história. alguém me contou em tempos uma parecida, mas com fatos de homem e um senhor riquíssimo.
Sem imagem de perfil

De mary a 30.09.2015 às 14:34

Também já me fizeram o mesmo, ainda teria os meus 21 anitos, mas afinal quem é a pelintra agora, é a atrasada mental da loja, que já teve que fechar as portas porque só vendia aos riquinhos manientos da cidade!
Imagem de perfil

De M.J. a 30.09.2015 às 15:26

pronto. o karma nunca falha.
Imagem de perfil

De blogdocaixote a 30.09.2015 às 18:11

Sabes aquelas meninas que estão à porta das perfumarias a dar os papelinhos com cheirinho novo de perfume que saiu? Nunca, nunca me dão. Às vezes, vou com amigas, elas recebem e eu... não... é um ataque à autoestima que não tenho.
Imagem de perfil

De M.J. a 01.10.2015 às 13:50

isso é porque já cheiras tão bem que elas sabem que não vais precisar de comprar a água com cheiro que elas tentam vender.

Comentar post



foto do autor