Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




escrever um blog todos os dias não é pêra doce. 

reformulo.

ter material para alimentar um blog todos os dias, mantendo a mesma linha consistente de conteúdos, feito pela própria pessoa (ah, aquelas pessoas que têm quem escreva por elas em troca de visibilidade) dá trabalho. obriga a uma certa imaginação, a criatividade constante e a uma persistência de ideias. a não ser que seja algo inato muitas das vezes fica-se pelo caminho. nunca se sabe a linha que separa o que se deve e não deve escrever. começamos, na maioria, por cometer o erro de dar informações demasiado pessoais, depois colocamo-nos a nós próprios no blog e por fim, quando damos conta não sabemos em que linha ficar.

não é por nada que se vê tanto blog ao abandono.

ainda assim, alimentando ou não consistentemente o seu espaço da internet, a mim irritam-me solenemente três tipos de conteúdos/personagens/gente que escrevinha por estas bandas:

* os que inventam historinhas da tanga, muito engraçadinhas sem ponta de verdade, fazendo-as passar por reais, para rir e assentando a tónica nessa mesma mentira: há burrice, há ser burro e há querer fazer passar os outros por burros;

* os que inventam uma pessoa muito fofa e querida e altamente simpática e fabulosamente de bem com a vida, cheia de coisas boas e das pedras do caminho e do cor-de-rosa e dos unicórnios a cagar leite creme: a necessidade constante de esfregar a felicidade nos outros traz sempre água no bico. 

* os que usam descaradamente as ideias dos outros como delas.

 

não vou dizer que não cometo nenhum erro desses.

nunca ouviram, por exemplo, que não há nada que um hipócrita mais deteste do que outro hipócrita? pois! possivelmente caio nessa teia convencidíssima que sou a rainha das flores. no entanto, conscientemente tento não o fazer.

 

- e insiro-me numa personagem odiosa para muita gente ainda que defenda que não me devem dar assim tanta importância (oh, a contradição) -

 

seja como for, creio, do que enumerei, que usar descaradamente as ideias dos outros como próprias é do mais pequenino que se vê. e ainda que seja difícil separar "inspiração em", "lembrei-me de porque li ali", "gostei do estilo e percebi que também me identifico" com "olha que giro vou usar" há coisas mais flagrantes do que outras.

há o transfigurar uma ideia e usá-la como nossa, com a convicção de não ter nascido em nós e há o usá-la descaradamente, apenas porque se pode e a vida é uma pândega.

toda a gente já escreveu, mais ou menos, que não será uma pessoa que escreve em blogs com sucesso porque não preenche os requisitos das senhoras que vivem disto. eu escrevo em blogs há anos e criei, aliás, uma personagem que tenta existir contrariando exactamente essas pessoas. mas também é facto que desde que surgiu a rubrica "sou a menos in do pedaço" (vá, toda a gente já leu) a blogosfera inundou-se de gente que não é in. há menos in, há muitíssimo menos in e aqueles que não querem ser in. de repente, por um vírus qualquer, toda a gente se lembrou que não é chique, que não é bem, que não está na moda.

e usa isso sistematicamente.

do mesmo modo, também toda a gente já reparou nas características de pessoas que vivem no mundo. mas até ter surgido uma rubrica chamada "e aquelas pessoas", ou uma coisa assim, nunca havia a blogosfera sido inundada por tanto estereótipo. aliás, há quem crie, exactamente, uma rubrica igualzinha, que se lembrou de manhã quando foi à cagadeira.

coincidências existem. e isto são apenas exemplos. mas o roubo descarado, só porque se pode, só porque não há mal, só porque somos todos "irmões" e as ideias são como cerejas - apanham-se de onde se encontram sem pedir ao dono - dá-me comichão no umbigo.

 

façamos todos uma última homenagem ao fim das ideias próprias, atirando-lhes uma rosa na campa.

tal como, mais cedo ou mais tarde, faremos à UE*.

 

(*e este magnifico toque de actualidade num texto que não tem nada a ver? ah, a classe!)

oh vai ver ali:

publicado às 09:15


5 comentários

Imagem de perfil

De Maria das Palavras a 24.06.2016 às 10:01

Eu também acredito em coincidências. E depois disso, acredito que se não for coincidência, é coisa que não dura. E se durar, durmo para o mesmo lado, de consciência limpinha.
Sem imagem de perfil

De sarabudja a 24.06.2016 às 10:04

Sarabudja dixit: sarabudjadeideias.blogspot.com%2F2009%2F11%2Fpara-as-minhas-ideias.html
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 24.06.2016 às 11:10

é mais ou menos o que se passa com as entrevistas a outros bloggers que, de repente, invadiram a blogosfera... não me aquenta nem arrefenta mas não deixam de ser cópia uns dos outros
Sem imagem de perfil

De Olívia a 27.06.2016 às 21:30

(arrefenta é lindo! Vou copiar para usar cá em casa, só para saberes)
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 28.06.2016 às 08:30

eheheheh 'tás à vontade

Comentar post



foto do autor



e agora dá aqui uma olhada