Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




pois é

por M.J., em 07.07.16

passo os meus dias a aconselhar gente a que não reaja a provocações.

insisto que reagir a uma provocação, ir a tribunal pedir justiça por um insulto é desnecessário. consome tempo, energia e dinheiro e entope os tribunais de ar de fátima engarrafado obrigando a que as coisas que realmente interessam fiquem a ganhar pó nas prateleiras.

há gente a exigir justiça, no entanto, como se a vida dependesse disso e, nesses casos, aconselha-se a que se prossiga. lembro-me de uma pessoa que queria pendurar a sentença na porta da igreja para todos verem que a outra parte fora condenada e ficou muito triste ao perceber que aquilo tinha palavras caras e ninguém ia perceber nada.

as pessoas são como são.

do mesmo modo evito coisas que me incomodam. já disse, por exemplo, que durmo uma série de horas por noite, como uma série de coisas, afasto-me de certos comportamentos.

não como favas que não gosto. não rebusco o lixo à procura de vísceras podres de peixe e não leio marquês do sade porque me enoja.

 

depois, vai-se a ver e quando dou conta ando aí na internet mais negra a chafurdar em lixo. abro sacos de sardinha podre, vejo lavagens de porcos, procuro pus, vísceras de salmão de quinze dias, sopa com bolor daquele verde e lombrigas em cocó. leio coisas que transformam sade num menino saudável atento o nível de loucura que por ali vai.

e de quem é a culpa?

a culpa é minha se apanho congestões, indigestões, se me deixo levar pelo mau cheiro ou se, quando dou conta, perco mais tempo do que devia a pensar em excremento.

 

a culpa é de todos nós, na verdade. a culpa de nos incomodarmos com o que os outros escrevem é só nossa: quem manda ler?

publicado às 18:09


4 comentários

Sem imagem de perfil

De Cristina a 07.07.2016 às 18:48

ninguém. a gente lê e pronto. e, como a gente é pessoas, a gente reage. assim ou assado. ( e o doutor, gostou do que viu, salvo seja? )
Sem imagem de perfil

De OKaede a 07.07.2016 às 18:54

Posso juntar-me ao grupo, e juntos fazemos uma associação? Todos os dias faço o mesmo. Sabendo que não é comigo, ou mesmo sabendo que entalei-me e depois vou ler e reler algo que não faz sentido nem aos anjos.
Achas que há alguma formula que nos consiga parar? Ou apenas alternarmos o tipo de lixo ao longo do tempo?
Imagem de perfil

De Ana Rita 🌼 a 07.07.2016 às 20:31

Aa coisas só ganham a proporção e a importância que lhes dermos.
Keep calm amanhã é outro dia!!
Sem imagem de perfil

De sarabudja a 08.07.2016 às 10:37

Quem manda ler?
Tenho mania de fazer retratos psicológicos, por isso cá vai o meu diagnóstico: tu lês essas coisas porque são a antítese do que és e porque ainda te surpreendes com o quão pouco lúcidas as pessoas podem parecer, e ainda assim haver uma série de outras que a apoiam, pensam semelhante e entram em batalhas verbais para defender as ideias?
Será que se conseguíssemos concretizar as palavras: atribuir peso, realizar os níveis de fracturas e contusões que podem provocar em determinadas pessoas, transformar em boomerangues, elas seriam cuspidas da mesma forma?

Tenho para mim que a internet faz parecer que as pessoas são como personagens de telenovela: há os bons e os maus. Nunca um bom, numa novela, tem atitudes irreflectidas ou diz uma bacorada. Falta o cheiro, o toque, o olhar e a reacção espontânea.

Comentar post



foto do autor



e agora dá aqui uma olhada