Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




o que sinto hoje e o que sentia outrora, o que faço hoje e o que fiz antes, o que anseio da vida e o que ansiava, o que me faz feliz agora e fazia antes, concluo que não irei conhecer, jamais, a pessoa que habita em mim.

a banalidade que me constrói está repleta de abismos e nem sempre os percebo. 

publicado às 16:45



foto do autor



e agora dá aqui uma olhada