Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




constatação

por M.J., em 11.04.16

venho do dentista. 

o lábio superior não mexe que não o sinto.

encontro na entrada a minha vizinha do lado com uma senhora carrancuda.

faço um esgar que se pretende ser um sorriso.

a vizinha esgai de volta e diz-me que não consegue abrir a porta.

pouso com estardalhaço e sem controlo do lábio os mil quilos de legumes que carrego, na tentativa de acalmar toda a culpa do que comi em barcelona.

digo-lhe, mexendo apenas o lábio de baixo, que abro a porta, claro, mas que ela devia trocar de chave.

ela diz "o quê?", gritando como se eu fosse surda e não inválida temporariamente do lábio superior.

digo, quase mastigando as palavras, que venho do dentista e que e-la-de-ve-fa-zer-uma-có-pi-a-da-cha-ve-por-que-as-nos-sas-fun-ci-o-nam-bem. 

ela concorda e sorri das minhas dores.

abro a porta.

entramos todas.

quase ao mesmo tempo esmagando por breves segundos os bróculos.

pedimos as duas desculpas e eu carrego com força o sacão dos legumes. 

ela volta a agradecer e sobe.

subo atrás.

a mulher carrancuda do lado não disse um piu, não mexeu os lábios e não olhou para mim um minuto que fosse.

ficou quieta, muda, lábios cerrados e ar de quem odeia o mundo. 

de certeza que é assim que eu pareço quando estou muito mal-humorada.

nunca tinha percebido até então.

credo, como fico feia!

publicado às 16:01


1 comentário

Imagem de perfil

De Just_Smile a 11.04.2016 às 17:33

'Carrancudez' (tal palavra com certeza que não existe :P) não é bonita.

Comentar post



foto do autor



e agora dá aqui uma olhada