Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




depois dele nascer vais ver que os bebés fazem uma série de coisas magnificas:

 

1. eles vomitam. muito. de esguicho. em cascata. normalmente em cima das tuas mamas

é. tu vais embala-lo porque está a chorar descontroladamente, encosta-lo ao peito muito amorosamente, abana aqui, abana ali e sentes um jato quente nas mamas. é vómito. que não para. e mesmo que vás a correr para o wc, com o vómito já a escorrer pelo caminho é bem provável que continue a vomitar. e que quando acaba tu não sabes se tiras a roupa dele ou a tua. porque ele está vomitado até às orelhas e precisa de um banho mas tu também e não é fixe dares banho nua e vomitada. estás num impasse. é bom que tenhas uma terceira pessoa para ajudar. se estás a pensar engravidar deves ter. assegura-te que essa pessoa quer ajudar. 

 

2. prepara-te para não vomitares com cheiro do vómito

aquela coisa do "ai, sou tão sensível ao cheiro que uma vez, na queima, estavam a vomitar cerveja e eu também vomitei - não que eu tenha bebido, deus me livre - e foi horrível" pode acontecer-te na situação anterior. das duas uma: ou ganhas resistência ao cheiro ou, se fores como eu, vomitas enquanto limpas vomitado e ficas ainda com mais vomitado para limpar. é lindo. digno de uma obra de arte.

 

3. quando estão doentes fazem cocó. de esguicho. em cascata. normalmente não há fralda que resista

pois é. prepara-te para isso. vai haver muita merda.

não vale a pena estarmos com coisinhas: não é só bosta, fezes, cocó. é mesmo merda. muita.

tanta que não há fralda que aguente. ela escorre como uma espécie de lava líquida. numa noite, por exemplo, podes acabar por mudar 5 vezes a roupa de cama da criança. ou a tua se o menino dormir contigo. no meu caso foi só a dele. por sorte amanheceu antes de me acabarem os lençóis. mas esteve perto de ser dramático e ter mesmo de ir sujar os da minha cama.

isso e pijamas, bodies, babygrows, meias, calças e camisolas. numa diarreia a sério vai tudo. em casa, no carro, no médico. quase como um anúncio à rádio comercial. é montes de roupa. e tu tens de limpar. sim, com as mãozinhas, essas tuas tão arranjadinhas com nail art. experimenta mudar uma fralda repletinha de merda com unhas de meio metro com florzinhas. as minhas estão rentes e sabe deus. 

 

4. eles têm conjuntivite nos olhos. e tossem em cima de ti. e há ranhocas verdes que escorrem enquanto almoças.

pois é. e precisas de assegurar-te que os olhos estão limpos. e que não tocas num descuido nos teus próprios olhos depois de limpar os dele e antes de lavar as mãos. é difícil porque ele não fica quietinho, como nos anúncios, enquanto o limpas. esperneia e mexe-se como gente grande. e berra. muito alto. acho que eles não gostam que lhes mexam nos olhos. eu também não. se não tiveres cuidado em limpar bem as mãos é bem provável que fiques igual. e lá se vai a maquilhagem toda prontinha a usar. 

 

por isso. se estás a pensar em engravidar não vás na tanga que todos os momentos são certos e que não há condições perfeitas. lá perfeitas não haverá mas é importante que tenhas, pelo menos 3 coisas:

1. dinheiro. é mesmo. essa coisa do que o que conta é o amor é tanga. se não fosse preciso dinheiro a segurança social não andava a distribuir abonos e tudo e o pessoal não ficava tão stressado nos dias em que é para receber, assoberbando os grupos no facebook com a mesma pergunta: "quem é da CGD já recebeu? e do novo banco?".

é preciso muita massa. para medicamentos, roupa, comida e fraldas.

e nem venhas com essa treta de que o teu leite chega, as consultas médicas são gratuitas e podes usar fraldas de pano, agora na moda: o teu leite chega até aos seis meses; as consultas no público são de graça mas os medicamentos não são, e experimenta usar as fraldinhas de pano com uma diarreia a sério. quem fica na merda és tu. 

 

2. de uma pessoa com maturidade ao teu lado.

ele até pode ser giro e dizer que quer ser pai mas ser pai vai muito para além disso. assegura-te que ele sabe ao que vai. vê lá a situação do vómito que relatei no ponto 1. não sei como teria feito sem ele. precisas de um pai que o queira ser. que tenha a mesma disposição para tomar conta da criança que tu tens. na vida de um filho não há a mãe e os outros. há a mãe e o pai. tu até podes ter disposição para mártir mas deixa vir uma noite de merda, vómito e conjuntivite para ver se o martírio não é demais para uma pessoa só. 

 

3. de uma situação profissional estável

pois. trabalhar horas e horas sem tempo para nada vai tirar toda a paciência que possas ter para situações de vómito, merda  e conjuntivite. e se trabalhares num sítio onde a compreensão para o efeito seja zero deus te livre e guarde. vais ter de faltar muito ao trabalho. não é uma vez, nem duas, nem três. são muitas. pensa bem se atualmente estão disponíveis para isso onde trabalhas ou se podes ficar sem esse trabalho. se a resposta for positiva ótimo. se for negativa: nosso senhor t'ajude.

 

enfim, e em suma, eu tenho essas três coisas, no mínimo vá, e tem dias, como estes últimos que me apetece saltar de uma ponte. eu e as dezenas de fraldas cagadas e as seis máquinas de roupa lavadas esta tarde. 

se já engravidaste e não tens nada disto: parabéns. és uma heroína. digo isto sem qualquer ironia. és mesmo uma heroína.

mas confessa lá que não seria mais fácil de outra forma. 

 

o que é preciso é amor, pois é.

mas conjuntivites não se curam só com amor, fraldas não se mudam só com amor, roupa não se lava só com amor e o dinheiro não aparece na mesa de cabeceira por amor (quer dizer, depende da profissão). 

é ou não é?

publicado às 16:20


5 comentários

Imagem de perfil

De Ana a 20.09.2019 às 21:23

É.
Mas assim assustas as raparigas.

Comentar post



foto do autor



e agora dá aqui uma olhada